• Senryu

Loading - Fim, recomeço ou novo nascimento???

Atualizado: Mai 31


Geralmente quando se há um acidente de avião, o melhor procedimento e se colocar de fora, não procurar culpados e se fazer um exame de cada cadeia de eventos com fins de evitar que os mesmos erros provoquem novos desastres (menos na Itália que se tem processos cíveis e no Brasil, aqui é uma bagunça desde que alguém com quatro dedos revogou a legislação antiga sem clarificar todos os pontos, mas isso é outro assunto). E as vezes me pergunto? Isso não seria uma boa maneira pra ver erros em projetos de empresas? Pois todos damos nosso melhor e não cometemos erros de proposito. As vezes são "vícios" de comportamento ou simples erros humanos. Mas meio que temos uma cultura corporativa de culpar alguém ou relevar certas coisas...


Bem vocês devem estar se questionando? Pra que esse papo todo? Bem vamos ao motivo. No dia 27/05/2021 a fase 2 da Loading foi interrompida quando às 17 horas foi convocada uma reunião com todo o setor de Jornalismo da Loading e foi comunicada a imediata demissão de todo o setor de jornalismo com saída efetivada imediatamente. Isso pegou literalmente todo mundo de surpresa e no meio de um momento econômico e de saúde grave em que vivemos.


Depois disso se teve uma serie de boatos, "revelações" e "possíveis" causas do fim que surgiram dizendo serem À VERDADEIRA CAUSA do fim da Loading. Só que isso leva a fatos estranhos como: se a emissora acabou e todo mundo foi chutado pra fora? Quem está operando os equipamentos e pondo a programação com chamadas e propagandas? Não há notas oficias até agora... E mesmo continuando a funcionar. Qual será o futuro?


Isso nos leva a se queremos ver o problema todo de verdade? Temos que ver o todo. Que seria os fatos, os boatos e as decisões tomadas e daí separar com o que se tem o mais provável pra se fundar uma hipótese "válida" (e me desculpem isso vai ser longo...).


Mas me leva a outro fato. Porque vou perder meu tempo fazendo isso? E me atrasar mais ainda do que já estou com várias coisas? O post do nascimento da Loading é um dos mais curtidos e vistos deste Blog. O que me deixa meio na obrigação de dar uma satisfação de algo que apresentei, acompanhei e falei tão bem.


Então se preparem pois isto vai ser longo é vai ser uma mistura bem separada de fatos, um pouco de impressões e boatos pra se chegar a uma conclusão do que deve ter levado a situação atual de vários empregos ceifados e num "canal morto" que na data de hoje tá bem vivo só com outra "estratégia"...


Vamos a uma cronologia dos fatos que sabemos oficialmente (partindo dos momentos mais "relevantes"):

  • Foi anunciada pra ser lançada em 02/12/2021.

  • Sofreu um "atraso" (que na verdade foi a abertura pra transmissões de teste)

  • Em 07/12/2021 foi lançada oficialmente

  • Parte da equipe de e-sports é demitida por divergências de direção de "tom jornalístico" é o resto do departamento se demite em solidariedade.

  • Em Janeiro Loading faz programação especial de ano novo escolhida por demanda popular.

  • Em Janeiro se tem várias promessas do executivo Anderson Abraços (também conhecido como Haterman) de que viria novos programas no horizonte, feitas em mais de um programa de podcats, entre os programas prometidos estavam: SSSS Gridman, 10 series de Ultraman, Gundam 00 e uma "surpresa".

  • Em Fevereiro surgem os primeiros números e mostram que a emissora tinha picos grandes de audiência nas faixas das 08 as 12 e das 19 as 22 (o que mostra que se notarem a programação da época que eram os animes que chamaram a atenção de começo) que a colocavam logo na estreia com audiências que incomodavam a 5ª maior TV do Brasil, a rede TV (que é uma de três TVs que efetivamente transmitem efetivamente em HD no Brasil; as outras são a Tv Brasil e a Rede Vida) além da atuação em redes sociais que conseguiu mesmo com os problemas inicias chamar bem a atenção e algumas vezes conseguir top trending topic no Twitter.

  • Anderson fala do licenciamento e das dificuldades de se obter atrações; meio se tornando o "rosto público" da emissora (notem bem isso pois vai ser importante mais tarde e falou muito que tinham que aprender com as lições do passado sobre reprises e na paciência em se obter programas; isso na prática se mostrava meio "selecionado" mas isso é outro assunto).

  • Em Março o Bloco Crunchyroll é extinto e passa as animações do horário a integrarem o +Geek que fica mais curto em apresentações.

  • Em Março no meio de números positivos foi anunciada uma "fase 2" do lançamento da Loading com "novas atrações" e mudanças de horário, o foco das mudanças se nota no Maratoon e nos e-sports.

  • Nesse período se experimentou algumas exibições duplas principalmente no Bloco Funimation com os animes: Overlord, My Hero Academia e Claymore.

  • Em Abril se prometeu a estreia de Gundam 00 e Fairy Tail e se fez um marketing de "hype" escondendo a data que foi ficando cada vez mais obvia como a do ultimo sábado de Abril.

  • Na semana de estreia de Gundam 00 e Fairy Tail é anunciado um Talk Show com o Anderson Abraços/Haterman (no dia da estreia e até hoje foram anunciados desde de problemas particulares a problemas técnicos que causaram o adiamento da atração que nunca foi efetivamente lançada).

  • Depois disso nenhum programa apresentado novo surgiu.

  • 18/05/2021 - Acaba o bloco Funimation após a exibição em episódios duplos de Claymore e My Hero Academia temporada 4 e sem maiores explicações os apresentadores são transferidos pro + Geek que é esticado com mais apresentação e agora mantendo 4 animes da Crunchyroll.

  • Na semana de 24/05/2021 surgem as duas "ultimas" novidades da emissora (até o momento): In Another World with My Smartphone e o mundial de Free Fire.

  • A emissora anuncia de ultima hora (assim como já fez várias vezes nesses 6 meses de vida) um especial do Orgulho Geek, que teve no dia da exibição "problemas técnicos" e não exibe Fairy Tail (que foi trocado pelo episódio 4 de Gundam 00 junto dos episódios 1 e 2 de Saint Seiya Lost Canvas).

  • Dia 27/05 a "morte" da emissora com a demissão de todo o setor de jornalismo junto com a demissão do executivo Anderson Abraços.

  • Se tornou fato que até as series novas não devem ter episódios novos lançados (o que leva a questões? serão abandonadas e vão dar calote nos estúdios de dublagem? Pois as únicas que se encaixam nisso são Fairy Tail e Gundam 00. Enquanto a primeira sumiu da emissora, a segunda já teve uma reprise de tudo o que passou até agora em diferentes datas e detalhe só foram cinco episódios).

  • Cabe um item de "observação" o episódio 6 de Gundam 00 foi exibido neste domingo 30/05/2021 numa exibição "surpresa" que foi das 14 horas após o mundial Free Fire até até as 16:15....(aliás no mundial de Free Fire anunciaram o nacional de LOL pra semana que vem...)

  • O executivo Thiago Garcia começa a bloquear ex-funcionários e a imprensa!!? E até o momento zero de respostas da emissora sobre o ocorrido.

Notem que alguns pontos eu marquei propositalmente em negrito, isto são coisas que em minha opinião foram sinais de problemas internos na emissora e são importantes pra se decifrar o todo.


Antes de falar em boatos. Me deixem pegar algumas conclusões positivas e negativas sobre a Loadinhg até agora:

  • A Kalunga foi forte patrocinadora no começo, mas a situação dela parecia boa com a empresa por fora com fortes patrocínios a times de e-sports (ao ponto da compra de alguns times), futebol e outros diversos, até ela abrir as ações em bolsa no fim de Dezembro (o que obriga a companhia por lei a ter um acompanhamento com "lupa" das finanças e dos lucros e despesas).

  • O balanço da Kalunga antes do lançamento das ações parecia bem solido e firme com um lucro crescente.

  • Sobre a Loading logo na estreia o episódio com o e-sport fez uma "quebra de confiança" bem feia (isso levou a uma "quebra" com consumidores, influenciadores digitais e "entidades" que poderiam ajudar); o que leva a um certo debate, empresas podem definir livremente sua missão, imagem e objetivos. Tendo isso em mente ela contratata profissionais que vão executar esta "face"/imagem e não vamos mentir que existem emissoras com pauta livre (CNN e Globo News), existem emissoras que politizam tudo em qualquer direção que o "vento" aponte (a Globo na versão aberta), outras que apreciam o governo (Record) e outras que não tem direção alguma e vão do jornalismo ao sensacionalismo de 0 a 100 (SBT) e algumas "bizarras" que tem posicionamento de esquerda mas aturam gente mais centrada e de direita pra se fazer de neutra (nê Band); mas essa parte não é pra apontar o dedo, essa parte é pra dizer que organizações tem objetivos e contratam gente pra executa-los. Aqui se nota pra mim um grave problema de Recursos Humanos, diretoria e funcionários. Pois os funcionários assumiram sobre uma "liberdade" de fazerem o que quiserem e logo na primeira semana!? Resolvem testar a chefia com uma reportagem sobre uma denuncia em cima de um membro que é do time do principal patrocinador!? A imprensa principalmente no Brasil trabalha sobre princípios e "responsabilidades". Sendo de fora o que se nota aqui foi que princípios não foram declarados e muito menos limites, o que levou a uma "queima" de imagem já bem ruim; além de se notar uma "seleção" irresponsável. Não sabemos 100% da realidade aqui mas se notam dois cenários: Um, se contratou um jornalismo pra "fingir" ser bem liberal, quando na realidade se tinha limites "não declarados" (é isso é auto censura pois como vou dizer? No jornalismo você não pode fingir ser uma coisa e agir diferente, uma hora o disfarce cai), já o segundo cenário seria eles terem a menor ideia de quem se contratou e nem ter fomentado limites, o que se levou a um choque que aconteceria mais cedo ou mais tarde...

  • Já de começo se nota algo "bizarro". Com certos programas tendo exibições simples e outros com várias reprises. O que faz a lição da reprise ser não ser uma metodologia e sim mais como uma grife que se aplica a certas coisas e a outras não.

  • Vamos ao que é a lição da reprise; a Manchete (principalmente, mas tenho que lembrar que é pratica comum de todas as emissoras do pais) reprisava várias vezes uma atração o que chegava a passar várias vezes num dia a mesma atração, que se acumulava por meses e as vezes até mesmo por anos! Isso fazia a atração perder cada vez mais rápido poder de atração por causa de um imediatismo que traz bons resultados de começo, mas faz a atração se deteriorar rápido por causa do "pacote curto" contra número de exibições.

  • Com o tempo se nota uns "favoritos" como: Lost Canvas (no canal desde a abertura e que teve grandes variações de horários e exibições, além de já ter sido inteiramente exibido já mais de 6 vezes), CardCaptor Sakura (mas por incrível que pareça este foi o mais responsável com somente uma reprise), Free (indo pra 4ª reprise), Darling in The Franxx (na 3ª reprise), Rokka - Braves of Six Flowers (que passou 5 vezes e pela curta duração chegou a ter episódios exibidos TRÊS VEZES NO MESMO MÊS! E notem que não tem nada em comum a não ser "talvez" a audiência.

  • A divulgação de começo por redes sociais foi ótima, mas a Loading foi "erodindo" ela com o tempo com atrasos de programas (como a Madrugada Crunchyroll), programas anunciados em cima da hora (como o especial do Orgulho Geek) e com que acho na minha opinião o pior deles com "hypes" mal criados. No caso de Gundam 00 e Fairy Tail se anunciou a existência deles num tempo OK, mas se errou miseravelmente em não associar uma data de imediato; isso criou um desgaste de OK! Legal! Mas quando estreia? A cada novo detalhe mostrado e a cada passo foi se esfriando demais. Esconder a data em nome do que? De outra emissora por "algo" em reação? Isso se fosse acontecer? Se teria de uma maneira ou de outra. A falta de data só gerou menos movimento e só "normalizou" a coisa mostrando que agora não se tinha a mesma força de antes o Marketing... Além de lembrando outros eventos já estavam fazendo um "burn out" do marketing em redes sociais.

  • Uma frase que por mais que você goste ou odeie o "Boninho pai", você não terá muito como nega-la que é: "TV é feita de hábitos" é nisso ao mesmo tempo a Loading tinha acertos fabulosos como a estrutura do Maratoon (aliás curiosidade, um dos programas menos modificados até hoje), pontos em que era um desastre como a tarde que só foi de mal a pior e pontos, passando a pontos fortes mas com "dificuldade de fidelização" que era a noite que sempre foi o filé premium com e-sports e os "animes da noite toda" (a rotatividade ao mesmo tempo conseguia pra Crunchyroll e Loading a atenção a atrações, mas acho que a rotatividade bem rápida os fez queimar rápido demais cartas que poderiam ajudar no longo prazo, pois se pararmos pra sentar e "ver" dentro das atrações dubladas antes do início do programa "dublagens simultâneas da Crunchyroll" é não lançados na Loading o total é... zero, 100% de tudo que foi dublado na Crunchyroll antes do programa novo de dublagens, já passou em algum momento na Loading e no caso da Funimation a coisa não fica muito melhor pois só não passaram as series de Tokyo Ghoul e nem as duas de Steins Gate, com isso queimaram muito rápido as alternativas.

  • Só pra reforçar programas de 12, 24 ou 50 episódios não se tinha metodologia do se passava diariamente, semanalmente ou "mensal" (aliás não lembro de um programa/atração sequer "mensal" além dos e-sports). Aliás com as reprises se aplicava o mesmo, sendo mais "genérico" e fazendo justiça a uma leitora que veio reclamar comigo... Animes se tem mais de uma chance? Mas as novelas é pow! Falhou e vá embora... sem nem segunda chances!? E fique de castigo na madrugada "enchendo linguiça".

  • Devo reforçar que as mudanças constantes que acompanhei no Madrugada Crunchyroll, Funimation TV, + Geek e nos fins de semana por um lado chamaram bem atenção de atrações "desconhecidas" como Welcome to the Demon School Iruma -kun e Death March in Parellel World Raphsody, mas ao mesmo tempo a exibição de tantas series curtas em pouco tempo causou uma dificuldade de se acompanhar estas series; o que claramente se refletiu nos picos de audiência da Loading pois as pessoas vinham ver algo por curiosidade e não ficavam pela falta de chances de poder curtir a mesma atração (pois mesmos os reprisados, saiam pra serem reprisados em outro horário).

  • Sendo sincero dos programas apresentados só três chamavam a atenção o Maratoon (que mesmo com a direção perdida que nem cego num tiroteio, tinha a simpatia e sinceridade da Mariana Ayrez e da Thais Matsufugi compensando), o Multiverso (que conseguiu alguns destaques bem interessantes como trailer exclusivo de Velozes e Furiosos 9 e Wanda Vision. Além da Fernanda Pineda que não começou bem mas se tornou a MVP do programa com o tempo e foi mais uma boa surpresa na apresentação) e o Funimation TV (que mesmo com um Leonardo Kitsune mais comedido nos comentários do que no seu... "habitat natural", ainda assim trouxe boas curiosidades e debates dentro dos animes que apresentava).

Sobre o "desastre" da Loading e "fim" vários boatos surgiram e vou colocar aqui os mais "embasados" deles (e vou por em negrito, uma ligeira opinião sobre eles):

  • Loading era uma empresa condenada em que os CEO´s sabiam que estava com tempo contado por causa da Justiça que podia caçar a concessão e não informou aos funcionário e isso tudo é fruto disso. (Pedro Lobato fez o furo que a ação decidindo o destino do espolio da ex-MTV teve recurso do MPF e teve novo julgamento em 2020; ainda não finalizado mas que está em 2 a 0 a favor do MPF e também do cancelamento da venda; mas isso é meio irrelevante pra situação atual por dois motivos: um não se tem o terceiro voto e o cumpra-se dela é mesmo que por exemplo segunda feira se fecha-se o placar, ainda se poderia fazer um recurso ao Supremo Tribunal Federal, o que pararia a execução de sentença e dependeria de julgamento; que poderiam ser dois, pois se um juiz decidir o que quer que ele decida, toda a decisão pode ser levada ao plenário do Supremo se assim for considerado valido é isso é matéria de concessão de TV, afeta vários empregos... o que meio que "garante" esse recurso "extra" é pra tudo isso acontecer pode se levar anos! Não é um "problema" imediato. Eu diria mais um vício de contrato que pode prejudicar ou atrasar no futuro. Além de temos que convir que a Loading tem problemas mais urgentes e imediatos).

  • Alguns programas anunciados nunca foram pra dublagem! (isso não foi confirmado; porém mais de um "insider" do mercado falam da inexistência de trabalho nas dublagens dos UItraman e de 91 days. O que no mínimo leva a acreditar que um setor que fazia as compras e era sabotado por outro que não pagava e fingia acompanhar os trabalhos feitos pra emissora).

  • Alguns programas não são da emissora e eram exibidos em empréstimo (Isso já era público e notório como a Madrugada Crunchyroll e em teoria a Funimation TV, mas resta várias perguntas como Gundam 00 já foi todo dublado? Fairy Tail era "emprestado"? O programa Funimation TV saiu pois queriam passar a ser pago? Dessas a da Funimation é a mais fácil de se responder! Obvio considere isso um chute, mas lembrando o passado a Rede TV! Disse que a Pokémon Company queria cobrar pelas temporadas e eles não tinham dinheiro, só não contavam com a Pokémon Company soltar uma nota junto da sua representante no Brasil que tinham interesse em trazer mais temporadas por emprestimo, mas que a Rede TV queria ser paga pra exibir Pokémon ou dariam o horário a evangélicos. Diante do programa ter patrocinadores e audiência a Pokémon Company obviamente recusou é o resto sabemos... Não estranharia das duas uma a Funimation recuar por ter posto programas dublados demais em pouco tempo ou da Loading neste caso não pagar parcerias prometidas; cof, dublagem, cof ,SSSS Gridman; e diante do descumprimento contatual eles removerem tudo o que tinham).

  • Não se tinha um departamento comercial, cada programa tratava de arranjar patrocinadores e muitas vezes eram os próprios apresentadores que arranjavam uma matéria patrocinada... (essa parece absurda mas... a Bandeirantes não tem um departamento desses... só tem literalmente o que dizem as más línguas um "cara" fazendo isso, o SBT é fale com o Silvio.... a Globo terceirizou a administração pra Accenture que... vem tendo dificuldades pois ao cortar atrações, acabou tendo o problema que alguns patrocinadores antigos resolverem ir embora com elas....; resumindo isso no Brasil já é uma zorra, pois emissoras agem do princípio da verba que recebem de repasses do Governo Federal pra propagandas e "compensações"; vindas dos pronunciamentos; e depois disso tentam "engordar" a verba com patrocínios. Patrocinadores estes na maioria agem do princípio de eu ajo no estilo X, tem um programa aí que combine? Não importa o horário...Além das emissoras agirem na espera que apareça alguém, ao invés de procurar empresas. E diferente de vamos dizer do resto do mundo que vai do princípio de este é meu programa olha como tem coisas que cabem a sua empresa! Não quer vir junto com a gente e olha nos temos audiência; aliás o mais cômico disso é audiência não ajuda em nada; vide os tokusatsus da band; essa inercia aliada a uma verba incerta do governo leva a gestões com preguiça e ineficientes... num mercado cada vez mais acelerado e "migrando" pro streaming).

  • A de sempre que parece uma vitrola quebrada: "é um monte de atração pra jovem junto de anime! É isso não dá audiência!" Ficar entre o 6º e 8º posto de audiência do país, vindo do nada, focando em boca a boca, crescendo mensalmente 0,1% de audiência em media todo o mês (enquanto as outras emissoras só desabam) e até o mês passado sem patrocinadores, tudo isso vindo de uma emissora considerada inexistente? Só posso dizer calado Vicio Nerd, ops Mutley!!! (olha você até poderia vir de falta de variedade de programas. Mas apesar das audiências de topo em queda? A Loading era desde de Dezembro a única emissora do país com média de audiência subindo; aliás bizarramente alguns institutos desde Janeiro pararam de divulgar pro público em geral a audiência por faixa de horário e por programa? Acreditem dos problemas da Loading o Ibope em algumas faixas não era um deles)

  • Esta é a parte de longe mais bizarra disso tudo. O que motivou a demissão de todo o jornalismo é do Antonio Abraços junto foi a saída da Kalunga do negócio; outros falam que a Kalunga vendeu tudo e por isso demandaram a retirada imediata de todos e outros falam que a Kalunga simplesmente vendeu tudo a outra pessoa; uns falam evangélicos outros falam a Jovem Pan e que tudo isso foi decidido numa reunião de alta cúpula em Abril diante dos números (é aqui isso sai do "normal" e entra no reino Terra Brasilis ou de Jojo´s Bizarre Adventure; segundo esse boato ele fala que a Kalunga está falida é bom empresas sempre tem divididas de longo prazo é no balancete não aprece em prejuízo; não ainda; o que leva a pergunta? Será que essa empreitada foi um investimento de curto prazo? O que seria uma idiotice pois TV s são investimentos de longo prazo e retorno devagar. Será que não estavam contentes de como andava a empresa? Essa é duvidosa pois demitiram um CEO e aparentemente o outro ainda está lá e a empresa "continua" andando. Pode ser que ela não esteja feliz com os rumos e queira sair, só que o parece e que houve alguma grande "quebra" de renda que levou as demissões e a empresa a agir em modo de "compasso" no mínimo. Se foi a Kalunga? Bem provável! Mas a razão real? Isso deve demorar (ou nunca) a ser revelado. Se fosse chutar descontentamento e saída intempestiva por puro motivo de não concordar com os rumos).

  • Ainda sobre a anterior, eu não duvidaria da venda mas quando se vende algo? O novo dono se não concorda com algo age de imediato pra deixar a nova impressão e que ele está lá e agindo! É isso meio que está faltando aqui. (O comportamento da Loading após demissão foi operar no mínimo; fato engraçado como geralmente a maioria das outras emissoras fizeram no lançamento; e geralmente quando se passa a um novo dono ainda se "aproveita" partes. A minha teoria continua meu chute anterior a Kalunga decide sair por não concordar com o projeto e está fazendo um "leilão" de melhor ofertas de quem fica no seu lugar, no meio tempo a emissora fica no incerto pois pode acontecer do novo dono; em especial se for um evangélico; mandar chutar fora tudo o que tem...).


Com certeza a Loading não era a companhia mais organizada e eficiente do Brasil pra se dizer faria 100% tudo de novo (desculpa alguns que falaram isso, sei que a maioria que disse isso deu 200% pela empresa, mas quando acontece algo desse tipo acho que o mais realista é estilo Emiya; é admitir os erros e acertos da jornada e se tivesse uma chance igual? Abraça-la ciente do que houve no "passado", mesmo sabendo que pode ser "um caminho furado", se abraçar no caminho certo tentando de novo com a esperança que não se arruíne novamente).


Olha pra ser tão rápido e como foi? Com certeza a situação foi fruto de várias pequenas coisas que foram se juntando e acumulando até um nível insuportável. E que com certeza por um bom tempo de parte a parte não serão inteiros revelados os motivos. O que sabemos de verdade é a Loading não acabou, mas entrou numa fase "regressiva" onde ela mantém o mínimo por algo. Se é o fechar do martelo de alguém? Espera de ofertas? Ou mesmo "esperar" um milagre antes do fim!? Só o tempo vai responder, mas parece que houve uma ruptura que "antecipou" o fluxo. Se foi prejuízo ou puro descontentamento da Kalunga? Acho que isso nunca vai vir claro pois como foi feito e no tempo que foi feito; logo no dia seguinte ao dia do Orgulho Geek, numa emissora Geek? Foi algo desastroso, inumano e muito feio a imagem dos negócios. Pois no fim do dia por mais que doa. Uma empresa tem que ter objetivos, prosperar e lucrar faz parte do jogo. Só o problema e como se joga o jogo se o faz de uma maneira que todos te achem o vilão? Você será separado como tal e tratado sempre da mesma maneiras até que se prove várias vezes o contrário ou seja simplesmente esquecido. Isso definitivamente é ruim pra Loading, ruim pro país (pois em teoria é mais uma empresa que não cumpre contratos ou no mínimo ilude o comércio) é ruim pros empregos e na confiabilidade da empresa, pois se demite em massa tão facilmente e os empregados são tão descartáveis? Quem vai se arriscar? E se for arriscar? Lógico que pedirão mais...Mesmo que tenham vendido ou alugado horários foi no mínimo uma atitude bem tola.


Fonte: Crunchyroll, Na Telinha, Tv e famosos, Pedro Lobato (Twitter Animes Overdrive), Jbox, Splash

130 visualizações1 comentário