• Senryu

Xenosaga The Animation

Publicado originalmente em Makai Knights em 13/09/09

#Xenosaga #XenosagaTheAnimation #ADV #Funimation #anime #RPGeletronico #MonolithSoft #BandaiNamco #TOEI #brasilanimecafe

O meu objetivo de trazer de volta as criticas antigas é de enriquecer elas, com mais conhecimento, curiosidades pra que possa fornecer a você que tiver lendo isto aqui, mais opções de decidir por si.


Aqui venho tratar de um curioso projeto multimídia que acabou bem mal por vários motivos, estou falando Xenosaga The Animation, aqui antes da minha opinião, vou falar um pouco sobre a Monolith é a série Xeno pra entenderem em que ponto este anime nasceu.

Do Xenogears Perfect Works - the real thing - a linha de tempo "inicialmente pensada" pros episódios (só avisando, traduzida por fãs, o livro só se tem em japonês).

Em 1999 uma dupla de desenvolvedores Tetsuya Takahashi e Hirohide Sugiura, estavam descontentes com a Square, pois tinham produzido Xenogears (o quinto jogo de um universo "planejado" pra ser em seis episódios), o jogo em si foi um relativo sucesso de vendas e eles desejavam continuar com esse universo, mas a Square queria se forcar mais em cinema e na franquia Final Fantasy (e também tinha olho nas propriedades da Enix, pois há anos negociavam uma fusão; que aliás só ocorreu seis anos depois..); mas por causa dos seus planos, eles não queriam se "arriscar" com propriedades novas e eles ficaram sentindo que o talento deles e dos jovens na Square estavam sendo podados, então resolveram abrir sua própria companhia a Monolith Soft e tiveram grande apoio de Masaya Nakamura que na época era um dos diretores da Bandai/Namco e juntos tinham planos ambiciosos como: promover novos talentos, fazer uma companhia que poderia fazer seus próprios projetos, além de ao mesmo tempo auxiliar ou fazer projetos originais pra outras companhias e "refazer" Xenogears, mas não só "refaze-lo", mas fazer todos os jogos dentro da visão dos seus fundadores e sob o ponto de vista dos personagens Caos e KOSMOS (quando as pessoas falam dos seis jogos, elas olham o plano que saiu no livro Xenogears Peferct Works - the real Thing -; que aliás só saiu em japonês e é extremamente raro e caro de se encontrar no estado de novo, pois há anos não é republicado!). Mas a medida que iam escrevendo, eu acho que as coisas foram mudando é o que começou pensado como continuação/prequel virou "inspirado em" e acho que aqui cabe bem uma frase de Soraya Saga que ajudou a fazer o cenário e a história de Xenogears e Xenosaga que disse esta frase sobre o que os torna parecidos? Ela disse: "Eu penso que todos os Xeno, são assim falando, como rios e lagos que nascem da mente e se tornam independentes, são parentes, mas não lineares."; e disso nasceram três episódios que poderíamos por na "fase 1", assim como Xenoblade se "encaixaria" na fase 6, mas na realidade quando finalizados foram feitos como "continuações planejadas" (no fim foram mais como vou dizer? Em Fazer dois "objetivos": Um seria tomar inspirações na linha histórica de Xenogeras e a outra seria não trata-la como a ferro e fogo e mudar algumas coisas); aliás mudando de um polo pra outro; Xenoblade nasceu do que tinham pronto em mente pra um quarto jogo de Xenosaga, mas a Bandai/Namco cancelou a encomenda, a equipe se sentiu meio deprimida e chegou a lançar o primeiro Xenoblade com outro nome no Japão, pois não pretendiam continuar a franquia Xeno, mas foram as palavras e incentivos de Shinji Hatano; na época diretor executivo da Nintendo Europa; que os fizeram mudar de ideia, junto de curiosamente vários fatores como a operação Rainfall, entre outros que fizeram a Nintendo olhar a companhia e comprar uma parte das ações da Bandai/Namco (comparam a metade do eles tinham da Monolith, hoje em dia ainda são ainda sócios, mas minoritários) e outra parte das ações dos fundadores, fazendo-a se tornar a principal sócia da companhia e a Monolith se tornou numa das subsidiárias da Nintendo; as vezes o destino premia os ousados, se você acredita no seu negócio? Pense nisso! E acredite em si! Fica essa dica e a história.


A Segunda parte do que vou falar é meio "nublada", mas leva ao porque a franquia Xenosaga fracassou e como esse anime nasceu? O que se pode fazer é teorizar, pois não se tem uma causa "única", mas assim como a própria Monolith tem sua teoria, eu tenho a minha própria teoria; mas vamos por partes e vamos começar de como nasceu o projeto multimídia! Inicialmente só se tinha os jogos planejados, não se tinha grandes ambições, mas com o sucesso do jogo Xenosaga episódio um (dizem que as vendas foram o seguinte, não se tem dados confiáveis pra se confirmar, mas dizem que: Xenosaga Episode 1: Der Wilie zur Macht vendeu mais de meio milhão de cópias, O episódio dois: Jenseits von Gut und Böse vendeu em torno de 450 mil cópias e o terceiro: Also Sprach Zarathustra vendeu 310 mil cópias) a Bandai/Namco achou que a franquia tinha grande potencial para os jovens e decidiu torna-la em um grande projeto multimídia, daí nasceu este anime que reconta os eventos do primeiro game, além de vários aplicativos e games como: Xeno Freaks (enciclopédia sobre o jogo e guia dos monstros da série), Xenosaga Pied Piper (uma história de prelúdio com Ziggy e Caos), um mangá (que só cobriu o episódio um) e Xenosaga I e II pra Nintendo DS (que muda um pouco a arte, que até é mais próxima a desse anime, do que os "cg´s" do primeiro jogo ou o "realista" do segundo jogo, além desse game ter algumas histórias que foram excluídas da versão PS 2 do segundo episódio, e elas focam em Junior, é um jogo bem raro e caro, pois só saiu no Japão, mas existem traduções feitas pelos fãs) é por fim um filme com as CG´s do primeiro jogo que foi lançado em alguns cinemas da Ásia e acrescido na versão perfeita que foi lançada no Japão após o game sair na América com "cenas há mais" (na verdade leves mudanças pra passar mais fácil na censura americana), o resultado de tudo isso!? Fracasso, segundo a própria Monolith os motivos foram que após o primeiro jogo eles absorveram as criticas da imprensa especializada (do jogo ser lerdo, da arte em 3D ser estranha e de ter cenas demais juntas), acharam que muito desses problemas vinham da diretoria "velha" que eles mesmos escolheram e saíram injetando sangue novo no projeto, mas várias brigas com a Bandai/Namco quanto a rumos e problemas administrativos sobre como alocar os recursos e definir posições no projeto, fizeram eles perderem um bom tempo e dinheiro; já a imprensa apontou que o principal problema do episódio dois era o sistema complicado (é nisso tinham razão, pois o que variava os ataques eram mais sua arma equipada que seu personagem e as vezes pra acomodar as duas coisas no jogo? Acabava levando à muita decepção é erro), além de acharem o jogo foi curto (quando só tinha duas horas a menos que o anterior)...é sobre o três a impressa disse que tinha problemas de optimização (o que era verdade o jogo exige bem do Playstation 2 e algumas cenas tem "curtos slowdowns") e também o fato do jogo receber mais recebeu criticas ruins, versus a maioria elogiando os outros dois e muitas das criticas ruins falavam que era uma história complicada e mal otimizado!? (As lerdezas em CG? Ok se tinha em um ou outro trecho, mas a história é algo que vinha em episódios, salvo "não ter um meio in game" de recapitular a história anterior; o que nesse caso o máximo era citações de coisas que aconteceram, o que leva a toda uma pesquisa só de coisas citadas em jogos anteriores e "repetidas" no "compendium", o que pra mim? sim, não era numa boa solução de se "ver" a história anterior), aliás sobre a história do terceiro jogo foi a mais simples e direta dos três jogos (então quando se fala em absorver o que houve antes? Ok a critica é justa , mas quando se fala no conteúdo daqui? Eu acho injusto pois foi o mais simples e direito possível)


Antes dos meus pontos (que vai ser bem rápido!), eu vou dizer aqui o que fez essa franquia dar errado em minha opinião (sobre o anime procura a conclusão! Que lá vou dizer os motivos dele). Aqui é daqueles casos em que muita coisa deu errado ao mesmo tempo como: reorganizar a produção na hora errada, a mudança de equipe e dar a escrita pra Norihiko Yonesaka, foi algo que se sentiu muito a alteração de estilo no resultado final, a mudança de tom no episódio dois pra algo mais estilo anime do que o ar "complexo" e sci-fi do primeiro fez resultar num belo chute fora, no três notaram o erro e tentaram um meio termo, mas boa parte do público pulou fora pelo conjunto dos erros dos episódios 1 e 2 e ainda some o fato do terceiro game estar saindo numa época que o Playstation 3 tava pra chegar em menos de um ano depois; além de "adicionar" os próprios erros que a Monolith notou, eu incluiria também que a insistência tardia num projeto multimídia fez a franquia investir errado, pois lhe garanto que a maioria do público na época era de "jovens adultos" ou adultos que jogaram Xenogears e queriam algo adulto, complexo e sombrio e não algo colorido, simples, "animesco" e ainda por cima sem "relação" com Xenogears e acho que também não ajudou o fato do jogo ter uma arte pra cada versão do jogo!!! (isso só jogou "minhoca" na cabeça do consumidor comum desde da capa ao jogo em si! Além de jogar na cara que eles não tinham uma identidade visual a franquia).

Foi bom

  • Conseguiu manter o carisma dos personagens na tela (ou seja Junior, M.O.M.O, KOSMOS, Shion, Ziggy e companhia) tem muita fidelidade na adaptação e se mantém quase os mesmo dos games.

  • O traço do anime é muito fiel as artworks do jogo (é ousaria dizer que rende muito melhor aqui do que no jogo).

  • Bom a parte musical é quase a mesma do jogo, então já saiba que mantém o mesmo padrão de alta qualidade.

  • A dublagem em japonês é excelente e mantém o mesmo elenco do game.

  • O final ainda é emocionante, apesar de ter uma coisa ou outra podada, eu acho que no geral, ele fica bem melhor aqui.

  • Tem uma canção de abertura original que não é ruim, mas manter This Serenity (que conclui o jogo) como encarramento foi uma ótima decisão!

  • A serie versus o jogo "só" tem três alterações vitais (que são: A amiga da Shion que é esquecida! E sinceramente? Ela só tem importância na trama no episódio três dos jogos de Xenosaga; M.O.M.O, Ziggy e Junior entram mais cedo na trama é isso acaba sendo algo bom e muda boa parte da dinâmica do começo da série e tem a que acho mais vital; um certo soldado tem seu fim mais tarde, é vendo como foi? Deixa melhor e mais crível um certo fato do episódio três do jogo).

  • A Sadame traduziu esta série pro português e fez compêndios durantes os encerramentos (e também durante os episódios) é um raro trabalho de fã que complementa o original! Só o veio reclamaria da "sobrecarga de informação" que isso normalmente provoca, mas nessa serie? Se faz necessária as informações "extras".

Foi mediano

  • A animação tem momentos muito flutuantes, tem cenas que tu diz uau de tão bem animadas e outras em que a qualidade cai muito até em quadros estáticos!? Mas a questão é que a inconsistência é um problema do estúdio TOEI até hoje, muito por as vezes dividir as tarefas de animação entre as suas subsidiárias.

  • Quando se adapta algo? Ser fiel ao material original, pode ser uma faca de dois gumes, pode lhe beneficiar e em outros pode lhe prejudicar em muito, mas aqui!? Acho que faltou um direcionamento correto, pois Xenosaga é uma "saga" de RPG´s bem complexa e muito se depende dos conceitos, história e explicações dadas por ser justamente um sci-fi, por um lado simplificar as coisas ajuda, mas no jogo se tinha compêndios e além de que alguns conceitos chave que eram apresentados em diálogos chave durante ou antes de lutas é cortar isso deixa tudo muito mal explicado pra quem não conhece nada de Xenosaga; mas aí vem o que me faz tacar isso no meio! Pra quem já tinha jogado o jogo, o modo feito aqui deixa tudo muito mais dinâmico e fluído e até acho por isso que o escritor chave dessa série foi convidado a trabalhar na Monolith, mas por outro lado tem que se pensar que quando se faz uma série, tem que se fazer algo pra atrair novos fãs! É o que eles recebem aqui!? Um monte de explicações meia boca, que só com muita boa vontade da pessoa ou se for uma das raras pessoas que pesque referências ao catolicismo, judaísmo, Nietszche é a bíblia ou vai procurar os complementos de enciclopédia do Xeno Freaks e de outras mídias e da internet, pois sem isso? Vai ficar boiando em muitas explicações da série, é isso foi péssimo pra novos fãs.

Foi ruim

  • Se jogou o jogo, ao ver o anime pode se decepcionar com a falta do fator novidade, não há personagens novos e nem nenhum "episódio fora do que foi contado no jogo", as vezes fidelidade demais atrapalha.

  • A dublagem em inglês é 8 ou 80 bem estilo ADV, aliás o trailer entrega muito do bom e do ruim da série...

  • Toda a parte da "Cathedral" foi cortada, então certas explicações do monólito? (que no jogo só voltam a tocar nisso na parte 3) Se foram, as cenas mais fortes das memórias da Shion? Se foram, pra ser exato! To falando de uma certa ativação falha...E boa parte dos monólogos do Albedo foram movidos pro final e com isso um terço da força dramática da série se foi, por um lado agilizou o fim da trama? Sim! Mas corta algumas das partes mais dramáticas e emocionantes do jogo e pra mim é motivo pra estar aqui.

  • As mudanças que fizeram na parte do Encephalon, foram horrendas pois algo que já tinha algumas suavizações pra dar um ar!? Vamos dizer mais bobo e de um anime comum, ganhou mais bobeiras ainda que deixaram tudo mais lento e suavizado demais e com certeza o episódio sete é o ponto mais baixo da série.

  • Olha pegar quase toda a trilha do jogo foi uma boa sacada, mas pra quem jogou o primeiro jogo? A sensação de ver as mesmas coisas e ouvir exatamente nas mesmas situações, acabam sendo inevitavelmente chato, previsível e cansativo.

  • A suavização da violência pode de duas maneiras desagradar, quem conhece o game vai sentir incomodado pelas "podadas" e quem não conhece, ao ir pros games vai se sentir enganado.

  • A disponibilidade legal hoje em dia é horrenda, originalmente foi lançada esta série pela ADV films em três volumes: Vol 1: Enter The Gnosis, Vol2: Voices From The Past e Vol 3: Free Will, são raros de se encontrar, mas o que deixa isso um pouco "menos ruim" é que a Funimation comprou os direitos da série, mas por enquanto só liberou eles pros USA e só relançou em versão econômica em home vídeo!

Conclusão

Este anime traz muito da qualidade do primeiro game, mas os defeitos dão uma bela puxada de freio, é uma recomendação meio difícil pois se deseja um sci-fi complexo, com um universo rico e bons personagens? Se tem isso aqui, só que a recomendação de como ver é "complexa"...


Pois o que te diria pra fazer? Quer embarcar nisso? Veja o anime! É isso mesmo, veja se é pra você, mesmo com os defeitos, ele pode atiçar a sua curiosidade (ele tem o padrão Toei de ser, de horas ir do animal ao abismal!!! Mesmo ele sendo "mastigado e suavizado", ainda mantém a essência da história do episódio um do jogo, além do fato do primeiro jogo ser DVD 9 e é notório que esse tipo de disco é tenso de se usar, em especial no Playstation 2) e se gostar? Procure os jogos! Os episódios dois e três, não são RPG´s longos, aliás nenhum dos dos três jogos passa das trinta horas, o que pra termos de RPG pode ser curto, mas o que se tem é um bom conteúdo sci-fi, complexo e com um bom mistério! E se gamar!? Vai atrás de Xenogears no PS1! O sistema de jogo é datado, mas a história dele é forte até hoje!


Sobre nota? Isso "mudou" do review original e eu diria que é nota 6, quando eu vi, muito do que me afetou e da nota foi pensando em mim mesmo e em como já tinha jogado o primeiro jogo é em como isso me fez lembrar de tudo o que houve antes e de também de como ter alguns personagens já no começo da trama modificou fatos que já tinha visto; mas isso leva aos defeitos daqui que são a animação inconsistente (no trailer já se nota isso), o fato de não ser "amigável" com novos fãs, além de comparando com animes mais novos, se nota a falta de flexibilidade na direção que poderia ter dispensado algumas vezes encerramento e abertura pra contar mais histórias e várias vezes sem razão fez questão de mante-los...


Até hoje se vê KOSMOS e outros personagens da franquia aparecendo em outros jogos e por isso acho que potencial se tem, mas se tem a questão que a própria companhia tem dificuldade de identificar pra qual público tem que fazer os seus conteúdos e de como fideliza-los, isso tem indícios de melhora no Xenoblade 2; mas quanto ao futuro de Xenosaga, eu não vejo muito quanto a novos episódios (ou anime, um relançamento dos jogos e do anime ou um remake desse anime seriam convidativos), mas toda a série Xeno ainda tem muito potencial é todos os seus "episódios" são recomendados só cabe ver, escolher e decidir a melhor maneira de você consumir.

Disponível em home vídeo pela ADV e Funimation (se acha as três edições que fizeram: em "volumes", em dois discos e a S.A.V.E da Funimation, mas tenha sorte com o preço! Pois em estado de novo é literalmente a pomba voa pra qualquer versão!!!)

Digo e repito quantas vezes for necessário de o quanto esta arte "funciona" melhor na animação! Que no game!
Junior vive o sonho de todo o capitão! Uma tripulação só de "garotas"! OK! Fim da piadinha machista...

Trailer

Trailer Franquia de games.

Links úteis: Site oficial da série (em japonês)

Xenosaga The Animation (no My Anime List em inglês) No Wikia (em inglês sobre toda a franquia Xenosaga) No Wikia (em inglês sobre o anime)

Site oficial do primeiro jogo (em japonês)

Site oficial do segundo jogo (em japonês)

Site oficial do terceiro jogo (em japonês)

14 visualizações

©2019 por brasilanimecafe. Orgulhosamente criado com Wix.com