• Senryu

Victory Gundam

Publicado Originalmente em Makai Knights em 17/07/2009

#Gundam #Sunrise #anime #brasilanimecafe #VGundam #VictoryGundam

Se querem um resumo do resumo sobre esta série? Dá pra fazer com uma palavra: Exagerado! Ok! acabou a análise!


Brincadeiras a parte! Vocês sabem que eu faço estas revisões pra poder fazer melhor e mais informativo tudo! E nessas revisões sempre trago mais de "tudo"; esta série em especial é fruto de vários fatores do seu tempo que influenciaram bastante no seu resultado; então por isso aqui se faz muito necessário um histórico da produção, pois certas coisas inacreditáveis que aconteceram aqui são frutos disso!


A associação entre Sunrise e Bandai com os gunplas estava sendo bem lucrativa pra Bandai, mas na época a Sunrise não conseguia outros sucessos grandes e na entrada dos anos 90 estava com algumas dificuldades financeiras, é a Bandai viu aí uma grande oportunidade dourada nisso! E comprou o estúdio Sunrise em 1993, na época Victory Gundam estava sob encomenda é feita pelo Yoshiuki Tomino (que pra situar, na época ele estava numa depressão por problemas familiares, doença essa que ele mesmo admite que influenciou muito ele nessa série), além de que já nessa série que começou a "famosa mão de ferro" de Hajime Yatate; aliás diga-se de passagem a discussão já começou sobre o primeiro episódio! Originalmente o que foi planejado pra ser o episódio 5, acabou virando o episódio um, na época ao exibir os cinco primeiro episódios pra diretoria da Sunrise, Tomino foi questionado porque o Gundam não aparece no primeiro episódio, ele discutiu que a solução proposta pela Sunrise de mudar a ordem dos episódios e fazer algumas cenas adicionais era ruim (sim se vocês assistirem e acharem "estranho" a ordem dos acontecimentos no começo da série? Saibam que é fruto disso!), mas a Bandai aceitou a sugestão na hora é essa foi a primeira de muitas discussões que ele perdeu pro Hajime é aprofundou a depressão dele e isso levou a ir na direção de ser a mais sombria e sangrenta da franquia Gundam.


E como resultado disso tivemos uma série com momentos bem cruéis, uma vilã sádica (Katejina), o segundo pior mascarado da franquia (Cronicle Archer, e quando falarmos de Gundam F-91? Eu falo de um mascarado pior que ele...), o protagonista mais jovem da franquia pra época (Uso com treze anos, que foi o mais jovem por um bom tempo até vir o Flit com 11 anos; aliás, uma curiosidade Hajime Yatate colocou vários detalhes na história da avó do Uso e no próprio Uso pra que ele fosse neto do Char Aznable, detalhes como o design dele, o nome da avó que era: Miguel e se notarem em Char Counter Atack o nome da "amante" do Char era Nanai Miguel; mas Tomino foi radicalmente contra isso é nunca foram em frente com essa ideia), um time militar feminino o Shirike team (que o nome das integrantes foi inspirado em cantoras importantes do século 20, então Cony Francis, Peggie Lee, Kite Bruch, Maheria Meril e Helen Jackson tiveram os seus nomes inspirados em: Connie Francis, Peggy Lee, Kate Bush, Mahalia Jackson e Helen Merrill), musicas imponentes e muito boas e de ser a série no ponto mais distante na era U.C (bom existe G-Saviour, que é mais distante, mas nem a Sunrise lembra dele então...).


Com tudo isso junto o que poderia dar errado!? Vocês vão ver os detalhes nos pontos mas..., apesar de ser a série principal de Gundam mais longa! (se colocar todas juntas só a SD Gundam Force é mais longa que ela por um episódio!) É de longe a mais controversa em recepção, começando pelo próprio diretor! Tomino no lançamento em Laser disc na parte dos extras e em entrevista, mandou as pessoas não comprarem a série! Num dos maiores micos mercadológicos!!! (essa foi confirmada pelo próprio Tomino, mas ele disse que foi mal interpretado e as palavras exatas dele foram mais ou menos isso aqui: "Isso foi fruto de um péssimo período da minha vida! E de depressão! Eu fiz infelizmente o meu pior ali!", além de confirmar que sim, ele queria outro destino pra Katejina no final, mas não mata-la cruelmente, como os boatos diziam, pois pra ele a morte é a saída fácil! Ele queria ela com várias queimaduras e ferimentos e que vivesse tentando remediar os seus "pecados" e fosse reconhecida pelo que fez direito e não pelo poder, pois ele a considerava uma pessoa redimível; mas nessa Hajime venceu de novo e o fim dela foi o que foi exibido); o pior que essa série consolidou (junto com Ideon) a lenda do "Tomino Kill Then All!!!" (traduzindo pras pessoas normais, que Tomino mata o elenco inteiro, então não se afeiçoe a personagens..., num tempo bem antes de George R.R. Martin).


Hoje em dia ver esta série em contraste com Turn A, se vê dois ângulos e dois momentos completamente diferentes do mesmo diretor, acaba sendo algo bem curioso pela imensa diferença de tons de uma série pra outra.

Foi Bom

  • Soube mostrar bem o horror da guerra (tanto entre civis com o horror da guilhotina, quanto entre os soldados, mostrando que até o melhor soldado morre fácil num descuido, além de mostrar o quanto a guerra vai desconstruindo psicologicamente a mente de toda a tropa).

  • A mensagem de esperança no futuro com as novas gerações foi bem passada é uma das poucas coisas que se salvou do final.

  • O gundam como mecha deixou de ser a coisa ultra resistente que foi por boa parte da U.C (ZZ zeta que o diga) e passou a ser um robô que tinha uma boa vantagem (substituir as partes perdidas com rapidez, sendo o V gundam foi o primeiro Gundam "modular"; Impulse de Seed Destiny este é seu antepassado espiritual) e isso adicionou um bem vindo fator de perigo constante.

  • A dificuldade de soldados se adaptarem a novos ambientes de combate (nos revezamentos terra/espaço), acabou sendo um toque realista.

  • Alguns momentos são de cortar o coração de qualquer um; exemplo a morte da mãe do Uso (O anime tem várias mortes horrendas, mas não "gore gráficas").

  • Uma parte musical bem inspirada (com uma das melhores músicas de abertura da franquia com "Standup to the Victory").

  • Com o politicamente correto de hoje em dia!? Você nunca, jamais verá uma vilã tão cruel e louca quanto Katejina, e isso a torna na vilã mais imprevisível da franquia.

  • A disponibilidade melhorou absurdamente hoje em dia, ao menos no exterior, a rightstuff, via Nozomi relançou a série remasterizada em HD e com isso é bem fácil de acha-la em home vídeo e com legendas boas e oficiais!

Foi Ruim

  • O mecha design é um dos piores da franquia (só talvez G gundam e Turn A são piores), os MS insetos de Zanscare merecem um belo Detefon neles....e sem contar que quase todos os mechas da liga Militia são "filhos" ou "netos" do V gundam (reclamavam de Zeta com seus vários modelos parecidíssimos? Pois aqui é pior ainda, por causa da pouca variedade de modelos de Mobile Suits)....

  • Algumas mortes na série foram pura liberação da crueldade (ou raiva) do Tomino (sintomas bem sérios de depressão) é junte a isso aos requintes de crueldade algumas cenas que foram tão grandes que beiram o exagero.

  • Conheçam Chronicle Archer, um soldado fraco que nunca consegue realizar nada em combates durante a série toda, além disso não é um dos melhores pilotos da série, não é um excelente tático e nem é ambicioso (olha o Jeridah Mesa no Zeta dava pra sentir pena dos azares e das "quase vitórias" nas lutas contra o Kamile, mas apesar disso você sentia que ele era um talentoso e obcecado piloto, mas nem perto disto o Chronicle chega) ele começa a série como um soldado sensato (que é surrado e roubado por uma criança de 13 anos logo no começo da série...) e depois com o tempo muda pra um louco sem direção!!! E ainda por cima no final ainda vira o "cachorrinho" da Katejina (traduzindo a vergonha completa como mascarado, e olha que ele nem é o vilão principal) e pensando bem isso é só a missa metade sobre ele...; eu perderia horas falando sobre como ele é incompetente e horrendo como personagem, se fosse fazer um top 10 de piores mascarados da franquia? Só acho que teria um mascarado pior que ele; é isso mesmo! Até em ser o pior mascarado da franquia, Cronicle Archer consegue falhar...(seu único mérito na série toda foi...recrutar Katejina e a partir daí temos uma vilã de verdade!!!).

  • O roteiro altamente irregular que começa meio confuso (muito disso se deve ao que falei lá em cima); apesar disso vai bem até o episódio quinze, mostrando bem a dureza nos combates além do drama dos civis, mas quando vai pra parte espacial? É aí que a série começa a se perder pois personagens somem do nada (Oi Chronicle, você existe? Fim da piada...), gente que você dava como morta volta do nada!? (Tô falando de você Fuala Griffon! Apesar de ter uma explicação na série que é bem ruim), coisas que desafiam a lógica como generais banidos (Tassilo Vago) por traição que voltam as linhas de frente do nada! E pra que? pra te trair de novo!!! Ou o "brilhante plano" de dominação mundial que consistia em fazer com que todos os seres na terra regredissem mentalmente ao estado de bebês!? Some há isso também o exagero no drama do Uso pra aprender a combater no espaço (se fosse qualquer outro personagem da série? Já estaria morto umas duas vezes (isto sendo bondoso) é só ver a série pra saber disto e ainda cometem o erro mais básico ao montar o histórico passado do protagonista (comum hoje em dia em jogos de RPGs, principalmente dos de mesa ao montar sua ficha); pra que a pessoa seja foda; o pai (que é líder da liga militia) é a mãe (que é projetista e espiã) tem que ser fodas como pré requisito do personagem ser o que é! Ainda pra adicionar mais exagero! O personagem tem que treinar suas habilidades de guerreiro desde da infância! (treino de atirar facas e também pra forçar a ser ambidestro com o moleque mal tendo 5 anos!?).

  • Coisas ridículas como bebês falantes!? (Karlman falando por telepatia foi ridículo, mas passa forçado pois outros newtypes fizeram coisas piores, nê Barnage Links), mas o bebê na barriga da Marbet falando e interferindo em combates foi abuso demais; mas isso não é o fim das coisas ridículas como: "o ataque das amazonas de biquíni!!!" ou o discurso de paz da Maria Amonia (tá bom um discurso de espalhar uma mensagem de paz cristã, mas fazer isso apontando uma arma pra cabeça de todos os que não me seguem??? Não acho isso uma boa ideia).

  • O Shrike team era uma boa ideia de guerreiras experientes em combate e delas aconselhando o Uso (o que quase sempre era bilhete de despedida de alguém do Shirike team), além de serem outros personagens além do Uso que ficavam procurando táticas e soluções no campo de batalha, isso foi o positivo delas, mas aí vem o negativo é me desculpem, mas pra mim? Eles juntos abafam os pontos positivos como: serem de uma a uma serem exterminadas pela série inteira até a ultima! Morrerem das maneiras mais variadas, sangrentas e ridículas possíveis! E talvez a pior de todas, elas sempre se colocaram como um time, mas sempre agiam sozinhas! E todos os destaques delas foram frutos de lampejos individuais, a única manobra delas em time!? Na série inteira!? Foi dar dicas de ejetar partes dos mechas e usar as partes extras como ataque kamikase pra derrubar as naves de Zascare, eficiente, não perdia pilotos, mas dá-lhe jogar fora partes extras...pra um exército que vivia reclamando de não ter fundos pra se sustentar...

  • A série até tem legendada em inglês na net, mas se prepare pra milhares erros nas legendas (como Shrike team virar Strike, Sike, Srikee entre outros e olha que este é o menor dos erros, tem coisa pior ainda!!!, isto devido a série ter sido legendada por 3 fansubs diferentes no desenrolar dela...num esquema comum nos USA de caso um sub abandone, outro pega da onde parou e no fim disponibiliza todo a série junta, coisa que não ocorre nestas bandas; mas pesquisando eu achei uma versão nacional dos fansub: Yorozuya, Lake e New Type Fansubs, como não achei a pagina principal deles e nem se tem um lançamento oficial no país, então fica a dica...

Conclusão

O grande pecado de Victory se chama exagero; se não fosse determinados exageros e também as brigas sobre os rumos que acho que começam a ficar piores a partir do episódio vinte e oito (pois é onde fica a trama mais perdida que cego em tiroteio, e isso perdura até o quarenta e cinco quando tentam se reencontrar e direcionar a série pro final), mas no meio destas coisas perdidas tem até alguns temas muito bons (a loucura da guerra se implantando nos soldados, a esperança do futuro nas novas gerações, os dramas pessoais vividos pelos soldados) e por causa destes temas que fica claro que a série poderia ter sido muito melhor e são esses temas "soltos" que te mantém vendo.

Vou dar a ela a nota 6,5; mas vou mandar a "real", se quiser vê-la por curiosidade? Vai sim achar algumas coisas interessantes! Mas vai também encontra um "conto" bem sombrio e pesado! (meu aconselho é não ver de uma só vez, porque tem horas que a série segue quase no automático, e os episódios vão entrando numa rotina chata, além dos momentos mais chocantes virem em sequência, como se fosse um combo; alguém disse episódio 50!? Que é o pior exemplo disto! Sério apesar de não ser tão "gráfico" tem momentos nessa série que fariam pessoas mais sensíveis vomitarem, então dá uma pausa caso sinta que tá pesado de se ver ou que esteja chato, pois isso vai te ajudar de uma maneira ou de outra), mas caso deseje ver só pra conhecer toda a cronologia Gundam da U.C!? Já te adianto que não perca seu tempo, pois isso além de não fazer a menor diferença, você vai começar do "fim"!? (sério, te aconselho a ver coisas melhores como Zeta, Gundam 0079, dê preferência aos filmes de compilação ou veja também Gundam Origins) se quiser conhecer a U.C toda? E se quiser ver um drama de guerra bem sombrio? Então talvez, Victory possa ser uma boa pedida pra você.

Disponível em home vídeo internacional.

Festival de chuta o balde!!!
Shirike Team uma ideia a frente do seu tempo, mas infelizmente mal executada!

Trailer

Links Uteis

V Gundam Site oficial (em Japonês)

Victory Gundam no Wikipedia (em inglês)

Gundam Victory (ficha técnica no ANN - Anime News Network)

©2019 por brasilanimecafe. Orgulhosamente criado com Wix.com