• Senryu

Gundam 00

Publicado originalmente em Makai Knights em 17/10/2010 (S1) e 31/10/2010 (S2)

As vezes escrever é algo engraçado você tem tudo, mais ou menos adiantado, só precisando acertar algumas detalhes é do nada algo extraordinário acontece. E como este Blog é algo secundário pois tenho um emprego é uma vida. Acabam as coisas se acumulando é o que parecia organizado acaba virando uma zorra por causa de um único detalhe.


E esse detalhe foi a Loading anunciar Gundam 00 na sua programação e junto da serie trazer também o filme ao Brasil ambos totalmente dublados. O que alguns não devem lá saber o tamanho disso, mas pra tentar dar o tamanho do Impacto é como se o Batman sumisse dos país por 18 anos e só agora voltasse ao país, em termos de franquia, do que representa ao Japão e aos animes de mecha é um fato de peso semelhante.


Pra minha sorte eu já tinha revisto a serie, pra dentro dos meus reviews antigos pega-la, revisa-la e relançar, só esperava ter que mexer nisso lá pra Fevereiro ou Março, mas veio esta noticia e ainda por cima ao pesquisar os detalhes, saber que a dublagem nem começou? Se torna numa oportunidade de chamar a atenção pra novos e velhos fãs antes da chegada, dar umas dicas (que não vão ser ouvidas, mas vai que) e revisar algo dez anos depois com outros olhos.


Então depois de justificar a minha bagunça e meu atraso, vamos falar um pouco do contexto da criação da serie. Gundam 00 nasceu de um momento difícil e de decisão da Sunrise; o estúdio tinha acabado de terminar Gundam Seed Destiny, que foi uma das maiores audiências da franquia, mas teve serias quedas de venda em gunpla, home vídeo e a fã base estava uma (no "melhor e mais educado dos termos") arara, pelos diversos erros e reciclagem de animações de Seed. A Sunrise sabia que não dava pra manter o esquema que estava fazendo de uma transição suave pra animação em HD e digital (pra explicar isso, vai um resumo rápido do cenário, nos fins dos anos 90, muitos estúdios japoneses abandonaram as animações a mão e em celuloides e apostaram em animação digital, a Sunrise optou em manter a animação a mão e usar um método misto de digital e animação à mão; mas Seed e sua continuação decidiram implementar bem pouca animação digital); só que o baque em redes sociais (e olha que na época não tinha nem ouso dizer 60% do impacto que tem hoje em decisões), vendas e em respostas e obrigou a Sunrise a tomar uma serie de medidas em nome de salvar a fama de qualidade do estúdio e de evitar um "sangramento" na franquia. Então começaram uma serie de medidas de dar aos fãs o que os fãs queriam! Os fãs queriam Seiji Misushima? Ok! Os fã querem qualidade? Então vamos fazer uma serie em Full HD.


Só que o engraçado e que Misushima foi de começo bem relutante em aceitar o trabalho; justamente por não conhecer Gundam; mas ao oferecerem "liberdade" criativa e um grande staff pra apoia-lo (e põem grande nisso pois foram mais de 300 pessoas, a segunda maior equipe a trabalhar com Gundam), ele acabou aceitando, o que rendeu dois anos de muito trabalho e planejamento. E mesmo assim Misushima decidiu por um método não "natural" a franquia Gundam, em nome de manter a qualidade da serie e das animações, eles decidiram que a serie seria dividida em duas temporadas de 25 ao invés de um lançamento só de 50.


Originalmente eu fiz esse review em duas metades, mas pra essa revisão, eu vou fazer diferente, eu vou combinar os dois reviews num só (sim isso vai ficar muito longo...) mas vou separar em duas metades os meus pontos, muito pela natureza das series e pra facilitar.


Foi Bom (temporada 1)

  • Esta é a primeira serie em HD e a animação se aproveita bem disso, as máquinas são muito bem detalhadas, os personagens são bem diferenciados e se aproveitaram bem do design de Risa Kimura e os cenários eram bem impressionantes.

  • Um roteiro que aposta forte em inspirações vindas de conflitos e tecnologias (muitas delas são teorias e nem na serie são muito detalhadas pois elas estão mais lá como um suporte ao cenário do que em um aprofundamento do lado sci-fi) que existem hoje no mundo atual traduzidas num cenário futurista como se a humanidade precisasse de um evento ou organização que trouxesse através da violência um entendimento pra paz, esse conceito auto "hipócrita" de o fim da violência através das armas é o charme da serie em no quanto sabendo da natureza hipócrita dos seus atos, a Celestial Being sabia da natureza auto destrutiva pra eles; o quanto o roteiro mostra que juntar um grupo destroçado pela guerra e tão desesperado por encerra-la e que aceitam a natureza "auto destrutiva" do "trabalho".

  • Aliás falando de roteiro, ter colocado um núcleo civil foi um risco tremendo (ainda mais centrando em personagens tão "jovens" quanto Saji e Louise), mas isso traz tanto uma realidade é um ponto de vista diferente a trama que ajuda bastante nos momentos mais parados é algo que junta a trama central é traz bastante "realidade" e proximidade ao espectador.

  • Isso é um ponto que mudou muito pra mim hoje. Eu engulo bem mais hoje em dia o design boy band a lá Gundam Wing, do que há 10 anos atrás, o design funciona bem e o deixa bem diferente de todas as outras serie Gundam.

  • Os mechas designers também gosto bem mais deles hoje em dia pois eles tornam os mechas de 00 tão destacados, realistas, fluídos na ação e diferentes de qualquer coisa da franquia Gundam.

  • O engraçado dos personagens aqui é todos são ao longo da serie personagens quebrados psicologicamente falando (menos o Patrick! Esse cara é especial de várias maneiras, principalmente numa veia cômica) é talvez por isso fica mais fácil no começo simpatizar pelos rivais dos Gundam Meisters (que são quebrados pelas situações) do que pelos Gundam Meisters (que começam como quatro quebra cabeças); mas personagens como Graham (em como ele se esforça em superar limites, pela irmandade que tem com colegas e pela simpatia natural dele na temporada um), Sergei (o urso da Rússia que tenta compensar limitações com inteligência e atuação em time e que mesmo num sistema de vida "restritivo", ele tenta acerta-lo e trazer o mais justo a seus subordinados), Patrick (a grande piada e o tipo de personagem que tem vida curta na franquia Gundam e que nessa serie faz questão de provar que o charme junto da sua sorte o mantém vivo... ou então é uma barata imortal amada pelos roteiristas; eu aposto mais na segunda...) e até mesmo Ali AlSarches (que você o odeia e já rotula de canalha rapidinho, mas entende a "natureza" da "canalhice" dele, pois a guerra é um negócio pra ele, é o que interessa pra ele é o conflito, o dinheiro e os prazeres que a guerra proporciona pra ele).

  • O que leva a algo que entendo mais hoje em dia os Gundam Meisters, todos tirando o Lockon (que esse você rapidinho já se agrada dele, muito pela personalidade e pela interpretação do Shinchiro Miki; ou mais conhecido como a voz que você mais ouviu em animes e nunca reconhece por causa de o quão único ele interpreta seus personagens). Os Gundam Meisters são personagens que você vai conhecendo ao poucos que a cada peça nova adiciona no quebra cabeças pode mais lhe aproximar ou afastar deles. Setsuna na primeira temporada é algo mais próximo de um meio termo entre eu amo e ao mesmo tempo odeio esse cara, pois a natureza estoica dele ajuda em algumas situações a entender a devoção dele pela missão, o quanto o passado dele é um peso e influência no hoje (e consegue nos manter e entender um pouco além do fato irônico de termos um mulçumano salvando o mundo) é o quanto essa nova "cruzada" dele é uma maneira dele pagar pelos pecados passados, mas por outro lado como tratam a "mentalização" dele pra combates é a falta dele "trato social" é algo irritante demais! Allelujah (seria interessante só trazerem o primeiro ou o segundo nome pro português pra facilitar falar na dublagem; muito em especial por causa de um fato da segunda temporada que seria ultra fácil de situar se fizerem isso) é alguém que no começo a gente até simpatiza e se identifica, mas exageram tanto no drama dele que por um longo tempo da serie, acaba tornando ele o personagem mais esquecível dos Meisters, salvo um certo amigo dele, a coisa seria bem pior! O que nos leva ao Tieria é hoje em dia eu entendo mais as "religiões" dele, a confiança sega dele por Veda como se fosse a Deus e depois trocada por outro personagem, na primeira temporada ele é um dos mais descartáveis dos Meisters o único fato de ser lembrado e por seu o apelo bishonen as mulheres nessa temporada, mas ele vai te surpreender na segunda (mas isso é assunto pra mais tarde).

  • Os combates apesar de curtos são bem ágeis e bons, na ação é muito direto ao ponto e seco (e eu tenho que confessar que reclamei de barriga cheia na época, mas esse seco, pode com o tempo incomodar algumas pessoas que querem mais ação e menos conversa, a temporada um com o tempo vai trocando a exposição pela ação e tensão, hoje em dia eu adoro isso, mas sei que alguém vai levantar a mão e reclamar do blá, blá e nossa eu já fui esse cara e me arrependo de certas coisas... que vou falar na temporada dois).

Foi Mediano

  • Eles no começo quiseram dar um gosto de o quanto é aterrador uma força ultra poderosa versus o "lixo" , passam por um lado bem a "opressão" disso, mas por outro a ação fica um cobertor muito curto. Do meio em diante vai melhorando e se equilibrando com o aumento de escala de conflito e os planos; mas não tem como não falar que até em Wing o maior passa pano da franquia pra força dos Gundams (onde até inventam um "metal mágico e indestrutível" pra justificar a força das máquinas), tem menos tempo de "superioridade" versus o mundo do que a Celestial Being aqui...

  • Em algo que demorou dois anos pra ser feito, se tem tramas e assuntos interessantes e vários deles te mantém ligado no anime e são interessante, mas algumas tramas só posso dizer que vão do lugar nenhum ao nada como Laguna Harvey, Kinue, o abandono do programa Júpiter, melhores explicações de como a tecnologia funciona entre outras coisas, no fritar dos ovos não são coisas vitais ou que atrapalhem, mas fica aquele gosto de incompleto no ar.

  • O elenco de apoio da Celestial Being variou de personagens fabulosos como Sumeragi, Ian e Felt (que cresce por toda as produções de 00 de modo gradual e natural), a momentos de quem são esses caras mesmo? É estou incluindo no mesmo pacote Cristina, Lasse e Wang Liu Mei, pois com o tempo o papel deles foi mais de escada, todos eles nesta franquia tiveram algum momento pra "brilhar", mas sinto no fim do dia que um Haro ou um boneco de posto seriam melhores substitutos...então nisso eu sinto um meh! Tem boas ideias e uns erros aqui.

Foi ruim

  • Deus do céu pra que episódio de resumo! Um dos piores da franquia e que apresenta recursos do enredo que logo serão abandonados; o engraçado que o contexto e como ele anda não te chateia muito, mas no fim do dia você se pergunta porque isso tá aqui?

  • Alerandro Conner a piada de vilão de toda a franquia! Aqui quiseram por um conceito muito usado hoje em dia, o recurso do vilão surpresa e nossa como usam isso muito mal, ao ponto de mais tarde isso ser tratado como "piada interna".

  • Trones e os Trinity´s foi algo que veio rápido, poderia ser melhor explicado e aproveitado, mas no fim foi um desperdício de tempo e um recurso pra transitar mal entre o arco do começo é o fim da temporada. Só o engraçado e que ao menos pra Nena tentaram lançar a mesma bola que o Sarchez pra que possamos "odiá-la", mas entendo os motivos, mas sabem o que tornam isso numa bola morta!? A falta de informações e a personalidade maníaca genérica (ao menos gera duas boas piadas com o Setsuna, se querem algum lucro).

  • Alguns adoram as musicas de encerramento dessa temporada e toda a OST da serie (e sinceramente as trilhas incidentais só tem chance de brilhar do meio da primeira temporada em diante); mas deus do céu! Eu odeio as musicas Wana e friends, as letras são bonitas, mas meus dois problemas com elas são: qualquer um dos cinco encerramentos da temporada 2 bate essas musicas fácil (ao menos pra mim) e meu outro problema e que elas são tão num ritmo tão arrastado e sem seguir o fluxo da serie.

Vocês mal imaginam o quanto a presença dele vai ser IMENSA em toda essa trama!
Daybreak´s bell é uma grande abertura que marcou 00. Pelo ocorrido de uma abertura traduzir tanto da trama quanto dos personagens em um simples clipe. É um fato divertido a garota que entrega a flor ao Setsuna na abertura era pra ser uma representação humana do Gundam Exia! Mas o animador leu errado o storyboard da abertura e desenhou a Marina Ismail, e Seji Misushima só foi notar o erro numa seção de teste e por causa do prazo apertado e do fato do comitê da Sunrise ter gostado. Acabou deixando o erro pra lá.

O que nos leva a temporada dois, a pausa foi usada pra tentar manter a qualidade de animação e da serie, só que no fim das contas originou o que muitos chamam hoje em dia de a maldição das pausas em Gundam, vou explicar melhor nos meus pontos que as vezes menos pode ser mais.

Esse pôster é incrível! Mas ao mesmo tempo não parece que alguém tentou bater uma foto do Setsuna com o Gundam. E alguém "posou" mal o robô e ele tá caindo.

Foi bom (temporada 2)

  • A combinação dos três últimos episódios da primeira temporada com os cinco primeiros da segunda temporada, são o ponto alto da serie é ela no auge, toda a tensão, todo o "cenário novo" sendo contado de modo ágil e num estilo mais mostrado do que contado, as falhas tecnológicas (o começo meio "gambiarra com carro velho" do 00 Gundam e seus upgrades foram elementos que deram um charme e "realidade") é a reconstrução da Celestial Being, os combates, os recrutamento (se acham o Batman do filme Liga da Justiça é um recrutador maluco? Só assistam isso aqui e conheçam o recrutador maluco original! Setsuna F. Seiei) e o encontro com a nova realidade. Fazem um dos melhores conjuntos de episódios de toda a franquia!

  • Nada mais de Gundams limpam o chão com todo mundo, os combates são mais estratégicos e inteligentes, o que melhora à ação e traz mais momentos memoráveis, mas isso tem um preço.

  • Muitos personagens melhoraram (como Sumeragi, Felt, Saji) mas os destaques ficam pra personagens como Setsuna e Tieria os quais se nota a maior melhora (o primeiro cresceu e muito desde o primeiro episódio da segunda temporada e vai numa curva cada vez mais crescente ao longo da temporada; vamos dizer que o Setsuna nesta temporada evoluiu muito como personagem é um cara muito mais maduro, que agora fica sem clamar pelo Gundam a cada cinco segundos e mostrou que era algo além de um clone de Heero/Sagara Sousuke, nesta segunda temporada ele foi um pouco de tudo desde recrutador sem noção à vamos dizer assim líder sem noção o que foi ótimo pra série e também pro personagem; quanto ao Tieria vamos dizer que deixou de ser o piloto sem talento, além de abandonar o jeito o bebê chorão da turma para ser o cara que compensa seus problemas sendo raçudo e sendo muito mais proativo do que reativo.

  • A parte musical teve um upgrade é ficou ainda melhor tanto nas música incidentais quanto na média das aberturas (tem-se canções fabulosas de abertura, mas nenhuma chega no nível de daybreak´s bell), quanto nos encerramentos que nessa temporada são cada um fabulosos em te entregar no fim do episódio o clima do momento, pessoalmente eu amo usarem a musica da abertura da segunda temporada como encerramento e Prototype. Aqui fica uma dica pra Loading, na versão legendada no Crunchyroll, todas as canções foram legendas, a não ser encontrem o milagre de encontra "ah banda" (ou as bandas) que traduzam isso bem, seria mais sábio legendar todas essas canções como feito na Crunchyroll são belas canções, adicionam muito ao "valor" a serie.

  • Saji e Louise ficaram bem mais encaixados na trama. A trama deles não fica mais tão solta quanto ao resto.

  • Ribons Allmark tirando o jeito estereotipado de ser (desculpem o termo mas ele se comporta como uma bicha louca, sem preconceitos com homossexuais mas...), é um vilão que você já odeia ele. Prepotente! Arrogante! Todos pra ele são peças e se comporta se achando um deus (ele literalmente dispara isso num episódio e você sente que o Toru Furuya tá se divertindo muito fazendo um vilão aqui ao invés dos inúmeros heróis que ele já interpretou na carreira dele).

  • Se em troca de resolver logo a trama do Allelujah recebemos a Soma de presente? Pode dizer que adorei essa "troca", sim a trama dois dois já fica resolvido muito rápido, tem uns conflitos "bobos", mas ter os dois durante a temporada ajudou muito e atenuou os problemas do personagem; Allelujah é o pior dos meisters? Sim, mas Soma é uma mulher forte, decidida é souberam aproveitar ela bem aqui.

  • A serie tem como "pilares" a direção muito competente, o texto bem próximo ao dia a dia, a ação excelente (muito mérito da temporada dois) e as excelentes atuações do elenco (essa se escalar mal a Loading pode estragar, esta serie vai ter que ter muito cuidado na hora de dublar, muito pelo tema militar, certas coisas ocultas na trama que se não forem avisadas ao dublador podem...levar a um erro, entre outras coisas).

  • Os episódios finais são excelentes com ótimas viradas, uma dose de suspense e várias tramas que se fecharam bem.

Foi Ruim

  • Os aces antes eram uma ótimo recurso extra, mas nessa temporada eles limitaram demais os antigos e algumas tramas ficaram forçadas (e teimaram demais como o Buxido e a do Serguei foi só forçada), outras não tiveram muito de novo (Patrick é Patrick, mas ao menos adicionaram a Manequim e souberam usar bem os dois juntos) e os novos aces foram muito mas muito ruins, pois foram os típicos vilões de fim de semana...

  • Sabem aquela coisa que disse lá atrás que menos é mais; pois bem um problema foi, devido ao rendimento de um certo personagem, os fãs demandaram que ele fosse um mascarado com isso a produção e a Sunrise entregaram o que os fãs demandaram! O que recebemos disso? Um dos piores mascarados da franquia, com vocês Mister Buxido que parece um otaku americano, que ao ter que "apelar" pra "trapaças", resolveu esconder a desonra e brincar de clone do Char e com isso virou um duelista querendo nada mais que lutar por lutar (esqueça a simpatia que tinha antes, esqueça ele se importar com os companheiros e principalmente esqueça ele superar limites, o que ele virou foi um idiota que late sobre seu super conveniente Buxido e exige que deem a ele a melhor máquina).

  • Por um lado à ação passou a ser mais constante, mas isso custou colocar detalhes e apostar numa trama nova e com menos apelo (basicamente é: Legal mudamos o mundo! Mas agora ele está juntado pela mesma força que usamos e ficamos num nos indiretamente permitimos esse mundo vivendo em ditadura, então nos mesmos na marra iremos trazer o mundo pra uma unidade de paz; esta parte até melhora, mas...), isso levou a problemas novos como mostrar tanta coisa na prática sem desenvolve-las direito, tudo acontece muito rápido e confuso, não é nada que uma "reprise" ou revisada ajude à juntar algumas coisas; só leva ao dilema que a temporada um teve um episódio de resumo sem necessidade é aqui essa pausa era necessária pra plantar certas sementes e esclarecer certos detalhes e esse recurso não foi usado aqui.

  • Muita coisa foi deixada na trama como um telefone sem fio como: O que era os "diálogos" que o Aiolia queria? (dá pra dar um chute, mas nada é claro e de proposito), Sério mesmo que esse plano ficou o tempo todo numa cesta só por 200 anos? Quer me fazer acreditar que um plano B nunca existiu até um vilão resolver usar um? Serio apesar de várias vezes citado e um detalhe ou outro ser lançado, o que foi a expedição em Júpiter? (foi algo que foi aproveitado e infiltrado pela Celestial Being? o que parece mais provável; era algo independente que foi sabotado?)e por ultimo e nessa ficaram devendo em muito, é tão difícil assim fazer um GN Drive verdadeiro? o que leva a.

  • Em nome de equilibrar os combates, os inimigos conseguiram acessos a certos recursos exclusivos da Celestial Being e sinceramente o uso deles é justificado na trama; o que fica forçado na trama é a explicação de como funciona o Trans-am de máquinas com GN drives falsos que tem NENHUMA PENALIDADE AO UTILIZA-LOS!!! (isso só foi algo lembrado DEZ ANOS DEPOIS!!! Em Gundam Build Divers Re: Rise temporada 2). Só esclarecendo esse detalhe, na temporada um é explicado que os GN drives verdadeiros são reatores "perpétuos" (eles partem do princípio dos reatores de fusão nuclear), mas vamos simplificar e dizer que 00 os usa como Nitro de um motor de carro, os GN drives falsos partem do princípio dos geradores de deutério. Em teoria os verdadeiros podem renovar o Nitro se colocados em repouso ou em menor produção, os falsos assim como o Nitro dos nossos carros uma vez gasto se vai e consome quase todo o combustível é esse efeito é ignorado a serie inteira; pode ser uma "reclamação nerd" é algo idiota, mas alguém quando chega e explicam algo a você? O que se espera é respeito! É isso foi meio que esquecido na segunda temporada...

  • Um detalhe no fim me incomoda muito; durante toda a serie os fãs queriam ver um conflito em larga escala é o enredo meio que do nada dá um "jeitinho" de dar esse conflito em larga escala é apesar de isso gerar bons momentos? Eu fico com um gosto que me forcei a ignorar o kit de clonagem de 9,99, o exercito descartável é o twin fake inspirado de "olhometro"...(não se enganem eu gosto do final, mas tem certos elementos que eu não quero ficar cutucando, porque eles são absurdamente forçados).

Conclusão


Olhem Gundam é uma franquia com mais de 40 anos e várias series e isso naturalmente afasta as pessoas pelo tamanho e por não saber pra onde correr. O que faz pra mim Gundam ser uma franquia tão única são três elementos: É sobre conflito humano (e nossa como fala sobre uma coisa só e essa franquia consegue puxar tantas histórias diferentes e tantas nuances diferentes), de como algumas series da franquia são únicas e saem a sua maneira de jeitos e estilos variados dentro da mesma franquia e de quão rica em histórias e diversidade essa franquia é.


A minha "tentativa" em fazer análises das series principais é mostrar essa diversidade e lhe dar maneiras de decidir qual é a melhor maneira de você entrar nessa franquia, mas sinceramente isso depende muito do seu gosto; mas sem duvidas tem alguns pontos bem fáceis de você começar a ver Gundam.


É não é a toa que muitos indicam Gundam 00 pra começar a ver Gundam; ela tem temas contemporâneos, não tem ligações com outras linhas temporais o que a deixa autocontida e sem necessidade de conhecimento prévio. Essas são grandes vantagens que ela tem naturalmente!


Mas essa serie tem muitas outras vantagens. Ela é a minha segunda favorita na franquia (relembrando a minha favorita é Turn A, já disse isso no passado). Ela te atrai muito pelo o quanto ela mesmo tendo um cenário futurista, ela te mostra um cenário bem similar com nossa atualidade, mesmo 10 anos depois o oriente médio ainda está em crise, temos crises de energia e crianças ainda são transformadas a força em soldados. Mas ele sabe passar a sua mensagem de um modo inteligente.


Mesmo com seus defeitos é uma grande serie da franquia. A primeira temporada tem uma ótima história e pra você "entrar nesse navio" depende de você gostar desse cenário ou dos personagens e se essas duas coisas te prenderem? Você vai ter uma boa jornada pois essa primeira temporada é um drama de ação (e sim isso ainda é um drama de guerra, mesmo isso sendo um conflito o tempo todo e mesmo tendo pouca ação), pra ele sozinho, acreditem se quiser, eu daria a nota 9,5. É uma história forte que vai escalando de um jeito bom e com o tempo nos aproxima dos principais e no fim tem uma mensagem tão bela que paga a gigantesca maioria dos erros.


Já a segunda temporada? Ah segunda temporada! Claramente eles se aproveitaram do potencial das redes de internet pra buscar feedback e deixar isso o melhor possível pro resto do mundo (e não pensando somente no Japão). E fazem uma "reformada" na trama é sinceramente essa trama de "consertar a paz" através da força sem "encaminhar algo melhor" no lugar é fraca, complemente com isso um foco na ação (que não se enganem é alucinante e fabulosa) é além de mostrar muito pouco da tirania da A-laws (além do bom e velho tradicional, vilão malvado da semana que ama ser mal, vilão faz maldades e fim de papo! Algo que só no meio da temporada e que foi consertado apostando mais na Manequim e com algumas "maldades" de alta escala; com o bom e velho raio da morte que todo mundo te chama de ditador e psicopata...). A temporada dois dou nota 7, muito por causa das correções de curso é uma temporada que o tema do dever de fixar os erros do passado não a ajuda, mas isso vai melhorando quando todos começam a procurar caminhos de entendimento, que o peso de mudar o mundo nunca deve ser de uma pessoa (ou organização só), pois é um fardo grande demais, que o amor as vezes vem dos lugares mais improváveis e que as vezes mesmo as coisas sendo imperdoáveis temos que por uma pedra no passado em nome de dar um rumo ao futuro.


Só o engraçado do fim dessa serie e que se olharmos bem ele? Ele finaliza tudo deixa a gigantesca maioria das tramas fechadas, mas na ultima cena da serie tem um anuncio e um filme (que vai chegar ao Brasil pela primeira vez via Loading TV) que continua a trama da serie e "dá um novo fim". É o próximo review por conta dos acontecimentos, então mais breve do que pensam, eu trago a análise de Awakenig of the Trailblazer.


Sobre disponibilidade vamos começar com o Brasil! Atualmente a serie está toda disponível no Crunchyroll; mas na data atual a Loading TV anunciou a compra da série, como isso literalmente acabou de ocorrer, vai depender do preparo e dos passos que a Loading vai fazer se já tinham tudo planejado antes de comprar? Em três pra quatro meses vamos ver ela no ar. Caso contrário vão ter que discutir que termos vão mudar, se vão ou não dublar canções (o que fica difícil com 4 aberturas, 7 encerramentos num total de 9 canções; a "matemática" vem de que dos sete encerramentos dois deles são aberturas já utilizadas mas com outra versão), escolha do elenco e do estúdio de dublagem, análise do resultado final pelo licenciador, daí vamos pra 6 pra 8 meses o que dá uma "certeza" de vermos Gundam 00 em algum dia de 2021, mas quando? Aí são outros quinhentos, mas quando for anunciado? eu vou atualizar a disponibilidade e faço uma noticia em separado.


No exterior passou no Sci-Fi Channel, a serie fez um bom sucesso no Japão e exterior, o que fez a produção a dar sinal verde ao filme antes do fim do anime. Teve um lançamento limitado pelo fim da Bandai Entertaiment of America, mas foi totalmente relançada num pacote de luxo (e opções fora disso) em 2018. A serie é facilmente encontrada hoje em dia graças a nova tiragem em home vídeo (mas só no exterior), além de uma opção mais "econômica" num OVA resumo que nunca tinha saído fora do Japão e saiu no ocidente junto desse novo lançamento (que não indico muito pois condessa demais o primeiro arco é faz perder alguns detalhes importantes).

A banda toda junta! As vezes penso que pôster desse tipo é mais trabalhado como capa de disco.... Isso é só uma impressão.
Nunca antes os encerramentos de gundam tornaram máquinas destruídas em algo belo de se ver! Mais de 10 anos depois e quase todo o torneio de gunpla tem alguma recriação dessa imagem ou de outros momentos do encerramento 4 (Trust You)

Trailer Temporada 1

Trailer Temporada 2

Links Uteis

Gundam 00 Oficial page (em japonês)

Página de Gundam 00 na emissora MBS (em japonês)

Gundam 00 no Wikipédia (em inglês)

Gundam 00 guia de episódios (em português)

Gundam 00 1ª Temporada no My Anime List

Gundam 00 2ª Temporada no My Anime List

Loading TV

Posts recentes

Ver tudo