• Senryu

Capcom vai lançar coletânea de Jogos de luta com 10 jogos! E Vamos lhe mostrar o valor (ou não!?).

Atualizado: 14 de abr.


Lá vai eu em um paragrafo reclamar que... nunca é fácil mostrar o que tem num jogo de luta por causa das companhias não facilitarem em nada! E nessa aqui que é claramente um teste se a Capcom volta a investir em algo que não seja Street Fighter (e com um foco "bem claro" em Darkstalkers, pois cinco jogos desta coletânea são desta franquia e outros dois deles tem relação com a franquia). E nossa! Não podiam ter escolhido games mais confusos ao consumidor que 6 dos que estão aqui.


Peso tirado do peito (acrescentando que Capcom não sabe as vezes o significado de continuação em especial em jogos de luta), tenho por objetivo mostrar o que você deve receber em cada jogo (em especial nos que citei como duvidosos. E nossa quando falar deles? Vocês vão entender os motivos!), o que diferencia cada jogo, diferença pra outras versões (que provavelmente não vão estar nesta coletânea), o que receberá de novo e uma tentativa de lhe tirar todas as duvidas.


Vou começar com o problema número um desta coleção... O cartaz (que pode ser visto no topo)....se olhar a bagunça acima? O que você imagina que esta coletânea tem de jogos!? (vamos fazer este exercício mental), mas eu devo chutar que a maioria das respostas vão ser: um sd de street fighter (que sim! Já existiu! E foi um dos primeiros VS da Capcom vs Capcom! Nos 90!), talvez algum Darkstalkers!? Pela Morrigan seduzindo o leão e o jogo do Leão (que é um jogo de luta bem desconhecido que mistura RPG com luta!?) e você tem uma capa que comicamente cita TODOS OS GAMES DA COLETÂNEA e ao mesmo tempo lhe dá ideia de "nenhum"!?


Não sou designer, mas sei que a ideia da coletânea é ótima mas já começa com um pé bem esquerdo com a capa. E lá vou eu novamente explicar esta bagunça de um modo que qualquer um entenda. (diga-se de passagem de novo, aliás noto que alguns gostam de eu "desmontando" essas bagunças de publicidade de games estilo anime e de luta, mas mesmo ficando no meio do caminho do resultado de visualizações? Eu ainda teimo em fazer isto).


Vamos começar do básico com a lista dos jogos que ela contém (junto de uma explicação de cada game, lembrando que os games serão lançados baseados na versão arcade de cada um):

  1. Darkstalkers (1): The Night Warriors - Primeiro game da franquia Darkstalkers e mostra muito da ambição da Capcom em puxar os limites da placa CPSII, grande velocidade nas lutas, expressividade dos personagens, barras de especial com opção de super move ou EX moves pra utiliza-la e "efeitos especiais a granel" no game. Pode-se se dizer que Darkstalkers é o pai dos "animes games" pois ele definiu muitas coisas que ficaram até hoje fixas em games indies de luta e nos games de luta de anime AAA até os 2010.

  2. Night Warriors: Darkstalkers Revenge - Quando nem o marketing da sua empresa se entende (detalhe este jogo e o anterior foram feitos numa rara colaboração entre as equipes USA e Japonesa da Capcom. E eles dividiram várias ideias durante a produção; mas o game basicamente seria planejado no USA e a parte de programação e testes no Japão e cada um faria o lançamento e publicidade a sua maneira é isso resultou nos japoneses lançarem isso sobre o título de Vampire; no lugar de Darkstalkers desde do primeiro game!) é nessa mesmo não gostando do nome... tenho que admitir que a campanha agressiva de marketing (muitas propagandas na TV e duas series) acabou no Japão dando certo (no ocidente o primeiro foi um ligeiro sucesso, já os seguintes...). Só que tudo isso tinha um ligeiro "probleminha" o game em aparência era quase igual ao primeiro! Na verdade ele só tem dois personagens novos (Donovan e Hsien-ko/Lei-Lei), algumas melhorias gráficas, mais velocidade nas lutas e melhorias de "vida no sistema" e com isso temos algo que se insinua como uma continuação, mas na realidade é o game anterior melhor polido...(inclusive os fins dos personagens do game anterior que estão aqui são os mesmos!) isso foi algo que em especial o público ocidental não esqueceu é a Capcom fez questão de piorar com o tempo...

  3. Vampire Savior - The Lord of Vampire (2!?) - E aqui temos algo que acertaram na maior parte do sistema mas em termos de marketing? Foi pessimamente vendido e por anos a Capcom e também meio que nós fãs de jogos de luta não sabemos bem o que deu tão errado aqui até hoje. Mas vai o meu chute antes dos pontos bons. Minha "adivinhação" é: O público já "traído" pelo game anterior não deu a atenção a este game e junte o fato que a as duas grandes novidades não agradaram e jogaram o game numa janela de desinteresse que a Capcom só piorou (o sistema de rounds continuado e "sem paradas", que demorou a "agradar" porém com o tempo ganhou simpatizantes e o sistema dark force system, que era um "refinamento" do alpha custom combo; do Street Fighter Alpha 2; que...de primeira não funcionou bem no game; honestamente só a Q-bee e a Morrigan tiravam bom proveito dele). Mas o game em si tem finais bem adultos (no clima e história contadas), um sistema bem emocionante de luta, lutas bem rápidas e cenários vibrantes que até hoje a Capcom tem dificuldade de trazer a mesma qualidade. Aliás curiosidade... só piorou a confusão ao ser lançado pra consoles caseiros o jogo ser lançado no ocidente como... Darkstalkers 3 (os americanos rapidamente mudaram pro título original, mas na Europa o 3 ficou no título e aumentou a confusão pois... teve algum dois; e pior tem e se notarem abaixo tem e só piora a confusão)

  4. Vampire Hunter 2: Darkstalkers Revenge - Aqui começa o legado de a Capcom não sabia o que deu errado. Ou até entendeu na parte in game mas não fora dele.... Este game assim como o outro que vou chamar de "irmão gêmeo", devido a terem detalhes e elenco de diferença entre eles (e chamo de gêmeos pois só tiveram só dias de diferença de lançamento entre os 2). Ambos os games de "nome 2" tiveram o sistema Dark Force completamente retrabalhado dando propriedades únicas a cada personagem quando acionado (como vantagem em golpes EX, maior dano em golpes, maior dano em combos e novas habilidades, algo que só seria feito novamente num game anos depois com e com sucesso no "remake" de Killer Instinct e Street Fighter V), além disso voltam os modos turbo e automático, dois personagens secretos "extras" e os cenários ganharam uma variação de cores e tons. Mas a diferença fundamental dele pro seu irmão foi que devido as limitações de memória da CPSII 4 personagens foram removidos (Q-Bee, Lilith, B.B.Hood/Bulleta e Jedah que foram removidos segundo um produtor da Capcom pra dar um ar mais "Night Warriors" ao jogo com exatamente o mesmo elenco e musicas do "segundo game", mas sob o sistema aprimorado do "terceiro" jogo) e a palheta de cores dos personagens enfrentados são as cores especiais de segurar dois botões (um de soco e um de chute ao mesmo tempo) e tem as mesmas adições que o outro com 3 personagens (Donovan, Pyron e Hutizil) e além das remoções de todos os finais únicos por personagem que foram trocados por um "fim universal" (que tem variação com os personagens secretos "extras").

  5. Vampire Savior 2 - The Lord of Vampire - Aqui temos o "irmão gêmeo" da variedade, ele tem exatamente as mesmas mudanças (leia-se o Dark Force mudado pra ser único por personagem, opções de turbo e automático, "dois personagens secretos", cenários com nova coloração e tons). Mas pela limitação da CPSII teve a remoção de 4 personagens (Sasquatsh, John Talban/Gallon, Possessed John Talban/Gallon; que é uma variante secreta; Riku/Aubath) pra manterem os 3 retornantes (relembrando: Pyron, Hutzil e Donovan). O engraçado dos Darkstalkers aqui lançados e que na versão arcade dos "versões 2" não e duas boas coletâneas tiveram. Foram que a Vampire: Darkstalkers Collection lançada pra Playstation 2 tem estes 5 games com exatamente os mesmos extras (exceto modo online, mas tem galeria, treino, versus, conceitos do jogo e algumas "trapaças" como modo original ou arranjado das roms) e tem também um personagem secreto: The Dee (que explora o conceito que eles iam usar pra incluir a Anita adolescente no jogo, mas ela acabou sendo removida do projeto por causa do prazo apertado; e a solução deles foi "decapitar" o sprite do Dimitri e tacar a cabeça do Donovan... pra por tudo num fim todo "narrado"; eu amaria um futuro Darkstalkers que explorassem essa história da Anita crescida controlando seus poderes e liderando uma humanidade unida contra as criaturas da noite e tendo que enfrentar aquele que a salvou da escuridão. Como história só isso já seria ótimo, mas esse conteúdo ficou só nessa adaptação que só saiu no Japão. Outra interessante é a que saiu pra PSP (hoje em dia não dá mais pra comprar pelo fim da loja do PSP), o jogo chamado Darkstalkers Chronicle: The Caos Tower, esta versão "vence" o "problema" de memória da CPSII e tem todos os personagens das duas versões irmãs "2" sob o mesmo sistema e sob o nome de Vampire Savior! E num jogo só! E tem o extra de ter uma torre com avanços e escolhas de RPG e ainda contando com 100 andares pra subir! Mas o que devemos receber nessa coleção e as ROMs de arcade só com consertos de alguns defeitos graves (ao menos nisso a Capcom foi bem honesta em relatar nas páginas individuais dos games no site oficial da coletânea; e lá você pode ver o que eles já admitem que vão corrigir), o que meio torna isso aqui ao mesmo tempo uma ótima coletânea de Darkstalkers (pela completude dos jogos contidos e pequenas correções), mas tão "incompleto" quanto a coletânea Darkstalkers Ressurection (que só tinha os jogos Night Warriors e Vampire Savior; os jogos 2 e 3 daqui...; com somente possuindo de extra: online e modo missão).

  6. Cyberbots Fullmetal Madness - Daqui se originou Jin Saotome e seu robô Blodia, a intenção da Capcom era criar um jogo de luta em que você teria liberdade de escolher o seu piloto (ou o fim que queria ver) e os robôs poderiam ser qualquer um! Algo como poderia explicar se você quisesse-se ver o fim da Chun-li você poderia fazer jogando com o gameplay/corpo do "Ryu". Infelizmente o jogo fez um sucesso moderado, que fez a Capcom pensar em apostar e dar uma nova chance com Tech Romancer. O jogo teve um lançamento pra o Playstation 1 e Saturn, que incluiu o arroz de festa dos secretos da Capcom! Ele mesmo o Akuma! (não bem ele mesmo, na verdade um mecha com a cara dele o Z-Gouki, tendo tudo o que ele tem incluindo um certo movimento secreto famoso...) que não deve ter nesta versão....

  7. Hyper Street Fighter II The Aniversary Edition - Alguém na Capcom achou que era boa ideia manter a IA de SF II e dar a opção a players e da máquina de escolher qualquer "variante" dos lutadores do jogo de qualquer versão de SF II (por exemplo você poderia jogar com o Zangief do SF II versus o Ryu do Super SF II Turbo ou o Sagat da versão Super SF II versus o Guile do SF II turbo e por aí vai); só não avisaram no "memo" que tudo isso sob a base do Super Street Fighter II Turbo e com a mesma IA. O que deixa o jogo um grande desafio e o versus dele um pesadelo desequilibrado!!! Só que mais uns anos depois surgiu Super (e a versão Ultra pra Nintendo Switch) Street Fighter II Turbo HD Remix que corrigiu uns bugs, refez os gráficos em HD e removeu o poder de escolher a variante do personagem e causou uma divisão na fan base. Uns amam o Hyper pela opção de escolher qualquer variante de qualquer jogo! Outros odeiam a IA dele é o desequilíbrio e preferem o HD remix/Ultra. Mas tem os que odeiam os gráficos HD (que vamos convir não são 100% perfeitos na conversão) e o balanço desta versão que introduziu throw escape e duas versões Dark (Evil Ryu e Violent Ken) que os players consideram muito quebradas.

  8. Super Puzzle Fighter II Turbo - Este foi um jogo relançado poucas vezes. Ele nada mais é que... Capcom fazendo o seu clone de Tetris, ops clone de Sega Columns, ops seu jogo de puzzle lógico feito de modo original pra não pagar copyright a mãe Rússia! E ele era divertido! Pois se baseava em cada personagem tinha uma vantagem de combinação de peças e se explorada podiam fazer combos e especiais que enchiam a tela do oponente o fazendo perder pela tela cheia. Foi muito pouco relançado e agora chega aos consoles modernos (e de volta a Steam) com versus online com rollback!

  9. Pocket Fighter/Super Gem Fighter Mini Mix - A segunda maior raridade daqui; além do fato que poucos arcades dele foram lançados no ocidente (o que o torna bem obscuro, mesmo com o lançamento caseiro pra Playstation 1) e só teve um relançamento que foi na coletânea do Street Fighter Alpha no Playstation 2. Basicamente ele é a versão de luta do puzzle Fighter com os personagens em versão SD e "cômica". Na época teve recepção mista (talvez muito por causa que o sistema de gemas era difícil de compreender e alguns não gostaram da abordagem cômica do jogo). Mas é uma das boas gemas daqui junto dos Darkstalkers; essa é a versão com mais potencial daqui só pelo fato das "adições".

  10. Red Earth - Pela primeira vez em consoles! Vem o jogo mais desconhecido da coletânea. Este jogo nasceu numa pretensão da Capcom juntar RPG com jogo de luta com bastante ênfase em história. Você escolhia um de 4 heróis e progredia diante de vários chefes, acumulando níveis, armas e itens durante a progressão (salvos num sistema de passwords). Desse jogo que veio a Tessa e o Leo (que você vê na capa desta coletânea). Foi um jogo inovador pra seu tempo, mas ele já nasceu sob a maldição da CPSIII (a placa da Capcom feita pra Street Fighter III que se revelou algo com falhas de hardware caras de se resolver; como super aquecimento; e o fator assassino o preço 5X mais caro que as placas Neo Geo MVS e a própria CPSII da Capcom. O que fez ela ter raras encomendas já pra SF 3, agora imaginem alguém arriscar num jogo de luta longo e "novato"!? O que levou a um dos piores fracassos da Capcom pra arcades e lembrando ele nunca foi relançado até agora... Outro jogo com grande potencial pra essa coletânea.

Lembrando que a coletânea vai ter em comum a opção do idioma inglês (o que pra alguns deles é inédito como pra Vampire Hunter 2, Vampire Savior 2 e "Cyberbots") assim como acesso a trilha sonora, artworks, documentos de produção e lembretes de com que personagem já zerou em que jogo. Bem como a adição de modos de treino, versus e online versus com rollback netcode. E ainda vai ter melhorias de qualidade de vida como filtros de imagem, configuração de botões, configuração de dificuldade e salvamento manual ou automático do jogo.


Devo lembrar novamente que os games se baseiam nas suas versões arcade. E que a coleção vai sair dia 24/06/2022 pra PC via Steam, Playstation 4, Xbox One e Nintendo Switch com opções de compra online e física.


Atualização 14/04/2022

Começou a pré-venda do jogo e foram anunciados os bônus... E eles são bem poucos (podem ver no trailer 2), só 18 trilhas remixadas por 5 DJ´s e mais desenhos pra galeria... (e só isso mesmo...). Os preços? Aí tem uma dificuldade. Até o momento não saiu página nacional pra os Playstation e nem o Switch. Então fiquem com o que tem (= Xbox, Switch e Steam).

Preço: R$ 199 no Xbox One, R$ 199 no Nintendo Switch e R$ 169 na Steam.

Trailer

Trailer 2 - Bônus de Pré-Venda

Links Uteis

Site Oficial da coleção

Wikia Capcom Vampire Hunter 2/Vampire Savior 2

Wikia Capcom Database Vampire: A Darkstakers Collection

Nostalgia Brasil: Cyberbots

Wikipedia Super Street Fighter II Turbo HD Remix

Wikipédia Ultra Street Fighter II: The Final Challengers


Fonte: ANN (Anime News Network)

15 visualizações0 comentário
Banner.png
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram