• Senryu

ALDNOAH.ZERO

Atualizado: Jun 16

#A1Pictures #Aniplex #Troyca #AldnoahZero #anime #brasilanimecafe

Esta é uma série que estou a muito tempo querendo falar sobre, mas não tinha oportunidade e nem tempo, bem agora eu tenho os dois em parte e não vou perder a chance! Vou falar aqui muito do histórico de produção pra vocês entenderem um pouco da minha opinião e de como algo que começou tão bem acaba terminando tão mal (ao menos pra mim).


Esta série nasceu de uma sugestão de um produtor da Aniplex logo após ao fim de Fate/Zero à Ei Aoki e Gen Urobuchi, esse produtor perguntou se eles poderiam fazer o mesmo que Gen fez ao Mahou shoujo com Madoka Magica, só que voltado ao gênero de animes de mecha e ambos toparam o desafio! Vamos primeiro traduzir isso pras "pessoas normais"..., a ideia inicial era fazer um Gundam mais sombrio e "mais pé no chão ainda".


De começo pela boa relação entre Aoki e Urobuchi, eles tomaram algumas decisões pra poderem fazer o anime andar bem na produção, que foi a fundação da Troyca pra cuidar dos roteiros e da direção (mais tarde essa companhia fez seus próprios animes autorais e por conta própria, sempre com a "mesma" equipe de roteiristas sendo creditada sobre como Olympus Knights, mas Aldnoah.Zero foi feito em parceria com a A-1 Pictures), além de decidiram dividir a carga de trabalho com Aoki criando os personagens e Urobuchi criando o mundo, toda a história do mundo e as fundações de pra onde iria a serie e mais tarde, com a condição de se tivesse tempo, ele escreveria os roteiros dos episódios (o que ele fez é conhecido como construção de mundo, só que nesse caso Urobuchi foi um pouco além e também criou parte do andamento da história da série e também fez o roteiro dos três primeiros episódios), mas com o passar do tempo o trabalho ficou apertado é Urobuchi chamou Katsuhiko Takayama pra ajuda-lo no roteiro (muito pelo fato de já conhece-lo, ser da confiança dele e de Aoki, além do fato de já terem trabalhado juntos antes) e ele deu já no começo deu uma sugestão que mudaria muito o projeto: Porque não misturar Gundam (que geralmente tem um estilo mais realista de guerra) com o gênero de super robots? (que resumindo de modo "simplista" seria um estilo mais fantasioso e com "poderes" de guerra, assim como em menor ou maior grau Macross ou Ideon fizeram) O resultado foi que todos adoraram a ideia!


A produção foi andando é Urobuchi já tinha feito o esqueleto da primeira temporada, além de todo o "conteúdo" do mundo (leia-se o que houve antes é o que os levou até ali, além de algumas ideias pra uma segunda temporada), e já tinha finalizado o roteiro dos três primeiros episódios (se ao assistirem notarem uma diferença desses três pro resto da série? Não se espantem!) quando surgiu uma oportunidade inesperada e de ouro pra Urobuchi. A Toei o convidou pra que ele criasse com total liberdade um Kamen Raider (que no caso foi Kamen Raider Gaim) e como ele já tava sem muito tempo e a série já tava bem encaminhada e com gente que ele confiava cuidando, ele acabou deixando o projeto, a produção seguiu e foi um grande sucesso de 2014; mas uma certa cena do fim da primeira temporada fez o clima ferver; considere boato; mas chegaram a sair notas na imprensa que Urobuchi tava uma fera com a direção que a série seguiu, e que inclusive chegou em reunião com o comitê de produção a pedir que não incluíssem mais o nome dele, afirmando que esses não eram seus personagens e muito menos o que ele desejava de rumo, muito colabora com esse boato o fato na Anime Expo Urobuchi soltar um palavrão (não traduzido) junto do que só foi traduzido sobre Aldnoah.Zero de: Estes não são meus personagens e não escrevi isso!


Como fez muito sucesso uma nova temporada foi encomendada, Urobuchi já tinha pulado fora e mesmo com toda a polêmica do final da temporada anterior? A nova temporada foi feita pra os fãs novamente não gostaram nada do final, é ainda no fim de tudo vir o próprio Aoki dizer que a série não terminou como ele queria pois a emissora interviu e ele decidiu mudar o final, mas ele disse que modificou poucas coisas do que o Urobuchi tinha deixado (isso vou discutir na conclusão, então se preparem pra uma análise cheia de spoilers, que neste caso se faz bem necessário).


No fim temos um conto sobre dois lados "espelhados" em que ninguém ficou satisfeito com o andamento!? Esta é uma serie bem complicada pois vou explicar nos meus prós e contras, que ela tem elementos fabulosos e ousaria dizer até revolucionários, mas levada por fatores como a decisão de Aoki de deixar várias pessoas escreverem, a saída de Gen Urobuchi (que pra minha surpresa enquanto pesquisava descobri que foi tranquila, o problema todo foi com o resultado, por isso agradeço Karine pelo artigo em que peguei como base dessa introdução) e certas decisões em pontos chaves que poderiam ter feito toda a diferença!


Se preparem pois agora vem a parte dos pontos que achei que foram bons e dos pontos ruins, que vai ter vários spoilers, mas vou tentar minimiza-los e os mais graves vou avisar antes, então, já tão avisados!


Foi bom

  • Três coisas aqui nessa série são indiscutíveis! Uma é o primeiro episódio, ele é de tirar o folego! Um dos melhores primeiro episódios de série que eu já vi (e olha que vi muitos....), tudo é ótimo! Desde em como estabelecer a situação atual, como o conflito começa e de como ele demostra a disparidade entre os dois lados! Fantástico, avassalador e a cena final com MKaLIEz antes dos créditos é o ápice!

  • A outra seria a trilha sonora, mesmo que não queira ver a série, você tem que baixar a trilha sonora dessa série, pois é um trabalho genial de Hiroyuki Sawano que se tem um pouco de tudo na trilha e nossa como a trilha ajuda a série em todos os seus momentos, principalmente em como a musica se casa com ação e torna tudo muito melhor e ainda ajuda a passar todos os climas das cenas com perfeição.

  • Por ultimo a animação feita em HD com animações e cenários em 2d na maioria e com mechas em 3d, eles conseguem conciliar bem ambos os elementos em tela e o resultado é uma animação muito fluída, detalhada e que consegue aproveitar dos elementos pra entregar ação precisa e ainda com muita atenção aos detalhes desde danos nas máquinas a até detalhes pequenos como os imãs nas botas de soldados, se tem uma das melhores animações da A-1.

  • Dividir a trama entre seus três protagonistas foi uma sabia decisão! Pois nos temos os dois lados do espelho com Slaine e Inaho (duas pessoas "comuns" e sem poder que são levadas à um conflito por causa de uma mesma pessoa e fazem todo o possível e impossível pra ajudar, ambos tem suas falhas graves que vou contar depois, mas aqui nessa série tentam passar a perspectiva de se você fosse um jovem e fosse pego nisso? O que você faria? Até onde iria? Tanto pro "bem quanto pro mau" é nisso foram brilhantes), além disso a Princesa Asseylum na primeira temporada foi impecável, tanto na sua independência quanto na firmeza do seu pacifismo (tem também uns elementos que foram absurdamente mal explorados que vou falar também, mas as convicções dela foram bem mostradas e certas decisões na segunda temporada só pegaram mal pra série).

  • O tempo todo, só talvez excetuando o combate final da série, as cenas de ação são de tirar o folego direto, aliás em termos de ação essa série é fabulosa, os combates que são praticamente um puzzle de como um "soldado normal" vence um "soldado saído de Dragon Ball Z" é nossa como a situação é apresentada e também em como ela é solucionada nesses combates, quase nunca decepcionam (salvo Frozen Esylium e o ultimo combate...nesses combates esquece isso).

  • Quanto à apresentarem o cenário, nisso foram fabulosos, sabemos bem dos dois lados exatamente em como eles são, o que pensam, além de suas estruturas sociais, isso foi feito de modo rápido, direto e bem eficiente!

  • A primeira temporada foca mais no Inaho, tem alguns poucos defeitos, mas tudo aqui é bem ágil, direto ao ponto e com algumas surpresas no caminho e num ritmo bom.

  • As partes com o Slaine na primeira temporada passam bem o desespero de retribuir tudo o que ele recebeu da princesa e como ele convence um conde só com a lealdade "canina" dele é fabuloso! Só que a temporada dois joga tudo isso no lixo.

  • O episódio zero vale muito em se ver! Pois ele introduz alguns conceitos, dá algumas explicações de como fizeram a série, desenvolveram ideias e apresenta conceitos dos três personagens centrais. É um raro momento que mostram tudo, desde do Marketing, passando pelas musicas, personagens e animação, vale nem que seja pela curiosidade ver o episódio 0 de A a Z, pois se tem uma rara oportunidade de se ver os bastidores de uma produção de animação

  • Alguns personagens do elenco secundário são bem explorados no começo como a Rayet (que cresce bem no decorrer da série), a Yuki (irmã do Inaho) e o tenente Marito são personagens com seus próprios demônios e problemas que crescem muito bem na série!

  • A capacidade da série em se alto referenciar nas pequenas coisas é bem grande e a usam muito bem desde pra fazer humor à cenas bem dramáticas! O que trás naturalidade aos momentos! É dá um toque mais real as situações!

Foi mediano

  • Inaho é um protagonista interessante em como ele combate e pensa no campo de batalha! Vamos dizer que ele não é um "gênio irreal", pois em tempos atuais em que engenheiros copiam máquinas inteiras, só de olhar ou generais improvisam táticas no meio do campo de batalha por causa das informações em tempo real (se quiserem procurem, um documentário do Discovery sobre Sun Tzu tem um depoimento bem interessante de Norman Schwarzkopf sobre isso), mais a condição mental dele; pensando nisso tudo, eu acho o que foi mostrado não acaba o tornando num personagem "tão" absurdo, os meus problemas com ele moram em duas questões: a falta de outros gênios que colaborassem pra coordenar os ataques, o que deixa tudo focado nele e ainda o tornando num "super" Solid Snake (e acreditem essa "impressão" fica pior na segunda temporada), o outro fato seria a condição de saúde mental implícita do personagem; desde das cenas do cotidiano, se sabe que ele tem alguma condição (se nota no cuidado que a irmã tem por ele), mas essa condição (que parece ser autismo) nunca é dita ou expressa; pra mim se fosse dito? Isso valorizaria e daria ainda mais impacto, mas o que se tem é um cara que não expressa uma emoção sequer e virou figura fácil de vários memes sobre não se importar..., mas sabem o que me faz tacar isso na coluna do meio? Ele algumas vezes soltou do jeitinho dele os seus sentimentos, como quando tinha raiva da superioridade dos marcianos e por perder um amigo ele queria fazer algo à respeito e também se expressou sobre como se importava com a princesa (mas sem expressar se à amava..., isso seria uma coisa dos detalhes que melhorariam a coisa geral, mas preferiram se recusar à esclarecer).

"As muitas faces de Inaho Kaizuka"
  • A temporada dois tem duas "grandes vitimas", Asseylum e Lemria, a falta de presença da Asseylum, de começo não é tão sentida pois claramente o roteirista tacou um "espelho" da Asseylum e é isso que a personagem da Lemria representa, ela é toda a malicia, dor dos sofrimentos sentidos em vida e limitações que a Asseylum não tem e foram colocados nela pra tentar situar e continuar o plot sem a Asseylum; é isso seria um desastre grande se não fosse a atriz que faz Lemria (Shina Natsukawa), ela consegue sair da posição de "espelho" e dar um ar só seu e com isso a trama pode ir melhor por conta disso, pois ela não era um "pneu step", mas sim outra personagem, mas isso leva ao problema que Asseylum entra tarde demais na trama e quando entra tudo sai forçado demais (incluindo o seu final, coisa que tivemos sorte de ter um, pois pra Lemria nem situar o que houve com ela fizeram, é logo ela que se tornou a "quarta ponta da trama"; foi ótima e muito bem, mas no fim foi tratada como step..., mas sinceramente isso é pinto perto do que fizeram com o Slaine na temporada dois, então isso fica no "meio").

  • O mundo que Urobuchi construiu é bem interessante, mas só acho o histórico da civilização "marciana" meio rápido demais é também "absurdo" o "tempo corrido" da sinopse básica desde da fundação à chegar no conflito atual; mas acaba no fim que você nem liga pra isso, pois o conteúdo gerado disso é atraente; então fica numa reclamação de velho que podiam acertar esses detalhes, mas eles não atrapalham a experiência.


Foi ruim

  • O fim da temporada um? Meu deus!!! O que se dizer disso sem entregar tudo!? Vamos dizer que eles constroem toda uma tensão pra entregar um resultado totalmente surpreendente! É só dizendo isso, vocês vão logicamente pensar? Mas não é isso que se tem que se fazer? Aí vem o "veio" aqui te dizer sim e não! Não sou contra fazer uma grande surpresa, mas você tem que entregar a situação de modo que o fato em si não seja absurdo pros personagens envolvidos; é o que um personagem faz ali é totalmente absurdo e fora do personagem! E por isso entendo a raiva do Gen Urobuchi com essa série pois o que foi feito ali!? Foi feito pelo puro fator de chocar o espectador, é sabem da pior! Quase nada daquilo compensa ou tem "consequências" no começo da temporada seguinte e ainda me trazem várias soluções "mágicas" à mesa pra garantir certas voltas... O meu sentimento foi como vou dizer...que eu entendo os Italianos e tenho empatia do que houve na copa de 1994, fizeram tudo certo pra chegar na final, lutaram com o Brasil até os pênaltis, tudo indo bem de igual pra igual e me vem a cobrança do Baggio..., isso resume bem o fim da temporada um.

  • A temporada dois foca no Slaine, é isso destrói a série! Mas aí vai perguntar mas como!? Por um alguns motivos bem simples, vamos primeiro começar pela motivação, a série até se preocupa em dar vários motivos pro Slaine, como melhoria de classes, unir o povo, poder pra ser importante, mas o único que me soou verdeiro com o personagem e que cabe no fim da série e que ele queria ser alguém importante e realizar o sonho da Asseylum de um mundo de paz, mas como ele fez isso, com quem se aliou e como ele planejou certas coisas foram completamente surreais e fora do personagem, de coisas passando por uma relação de lealdade com alguém que ele traiu duas vezes e detalhe ela nunca desconfiou um segundo dele, sério isso foi conveniente demais, passando por preparações de planos dignas do Batman (a destruição de Tempest é o duelo "três" com Inaho são bons exemplos disso), e é vamos ser sinceros, o Slaine que a temporada um mostrou é um cara que OK! Perdeu o medo de sujar as mãos, mas era o cara de coração e dedicado, que não era um "planejador mestre", era só o cara "comum" que queria fazer tudo o que pudesse pelo desejo de sua amada e no fim? Ele faz na temporada seguinte exatamente o oposto do que ela queria.

  • Outra coisa que quebra a série é o foco demais no Slaine e na base lunar; na "parte do Inaho" conseguiram em poucos episódios passar a realidade da Terra, mas e Vers/Marte? Tudo da boca pra fora, quase tudo só com citações que não passaram bem o que faz Marte ficar tão ligada a um sistema feudal? Porque o povo pobre/vassalos gostam disso? Se Aldnoah é tão poderoso? Porque não usar estas tecnologias em terraformação ao invés de armas? Perguntas que pode ser só eu me fazendo, mas que me incomodaram a temporada dois inteira e ficaram sem respostas satisfatórias, por justamente não mostrarem a situação em Marte em "loco".

  • As partes nessa temporada com Inaho foram ou oito ou oitenta, tem momentos em que ele sente dor, sofre e expressa o que sente, sem ainda perder os planos super elaborados e seu jeitinho "diferente de ser", mas tem momentos quer tu para e pensa? É sério isso? Como as "conversas" com o olho dele, a mensagem na "secretaria eletrônica" pra Asseylum ou o plano contra o Frozen Elysium; no fim por um lado piorou o que já era ruim, por outro até melhorou certos detalhes, mas o mais imperdoável e deixa-lo sem uma "motivação" clara a temporada inteira! (Vendo o Inaho da temporada um, ele tinha sim uma motivação; e em teoria até certo ponto ainda tinha nessa temporada; mas as coisas que ele faz no fim? Foram mais dadas por outra pessoa do que ele "abraçar" a missão? É isso tudo me incomodou muito e por isso não "taco no meio").

  • O elenco secundário em geral é bom, mas tem momentos que a gente pensa que as situações vão se pagar!? Ou os personagens em novas posições vão mudar!? Ou questões vão se acertar!? Mas se seu nome não for Inaho, Slaine ou Rayet a sua progressão fica resumida à um episódio e abraços!!! Vão de coisas a plots que duram um episódio como a situação entre Marito e a capitã ou de coisas que não vão pra frente como o amigo mecânico do Inaho..., se sente queriam desenvolver outras coisas no meio, mas elas não vão quase pra frente e quando vão, faça o favor de não piscar o olho pra não perder...

  • A resolução vem do nada e do nada ela fica, não vou negar que o sacrifício da facção "Saazybaum" foi interessante, mas não nego que muitas coisas ficaram pra resolver em dois episódios é isso levou à várias questões sem resposta e isso não se tem como negar.

Conclusão


Vamos primeiro ao que achei da série, recomendações e disponibilidade pra entrar no setor do que ela poderia ter sido (que aí vai envolver spoilers pesados, mais vou avisar na hora e daí pulem pra parte de disponível se desejarem). Primeiro vou falar que essa série merece uma recomendação tão bizarra quanto foi a produção dela...; pois se fosse só a temporada um pra se considerar? Eu daria nota nove sem pensar (mesmo tendo aquele fim controverso e "maluco", adorei a ideia, o cenário, as lutas e algumas surpresas), mas ela tem uma segunda temporada que não posso ignorar que ela e é um problema sério!!! (se querem nota seria três pra temporada dois, a temporada é confusa, centrada num personagem perdido que "tenta" passar que não está perdido é ainda nasce de um "momento" horrendo que tentam concerta-lo a temporada inteira!) Se juntar ela ao conjunto dou a nota 6 pra série e recomendaria só ver a temporada um.


Mas daí, vai vir o como assim!? Vamos a verdade que a maioria dos que comentam essa série não encaram a experiência na temporada um é maravilhosa e muito boa! Salvo um único momento do final a experiência é excelente! Mas esse momento é um daqueles que estraga tudo e não se tem como voltar! Com a piora que a temporada seguinte só aumenta ainda mais o dano. A minha "dica" é leia tudo aqui, reflita e veja a parte boa que é a temporada um e esqueça que a temporada dois existe; ou até veja, mas com expectativas baixas!


Só tem o fator que ela foi distribuída como uma coisa só, mesmo tendo duas temporadas, então pra deixar bem claro! Veja até o episódio doze (ou volume dois se for comprar o DVD ou Blu-ray, mas já aviso que os preços são bem elevados) e depois disso? Se quiser!? Siga por sua "conta e risco", vai que pra você o que propõem te agrada! Mas pra mim foi tudo muito forçado e ruim.


Só agora soltando spoilers pesados se quiserem pulem logo pras ilustrações e disponibilidade, vou falar de como poderia ter sido a série..., boatos dizem que quando Gen Urobuchi "soltou os cachorros" na reunião do comitê de produção, ele disse que não escreveu os personagens, mas que tinha dado uma solução mais lógica pra o fim da temporada um é o que foi feito com o nome dele foi um absurdo. (a solução dele era com Slaine contatando um outro conde e sequestrando a Asseylum na surdina, além do fato de Inaho e Asseylum serem amantes na versão dele). É nisso tenho que concordar, pois sai melhor e bem menos absurdo do que o que foi feito.


Aí me veem o Ei Aoki retrucar publicamente que fez quase tudo o que Urobuchi tinha planejado, sem quase fazer mudanças (mas o que ele mudou estragou a série...), que "tudo tinha sido feito na sua essência" e que ele queria fazer um final em que Inaho, Slaine e Asseylum nos bastidores manipulavam a manutenção da paz enquanto viviam escondidos da sociedade, e pro mundo a Asseylum (Lemria disfarçada) viveria um casamento de fachada com um duque e promovia a paz entre os povos; o próprio tentou argumentar, mas concordou com a emissora que era sombrio demais este final (mesmo assim parte dele foi aproveitado no fim da série).


E daí me perguntam? O que achei disso tudo!? Se fossem pelo caminho do Urobuchi daria algo com mais alternativas e "cores" (é assim que Urobuchi numa entrevista chamou os sentimentos numa obra, que ele gosta de deixar as coisas no começo sem as cores e depois ir preenchendo); e em "teoria" não pode fazer isso em Aldnoah; é sinceramente vejo, mais alternativas e menos coisas forçadas nesse cenário "alternativo" com uma Asseylum cativa, um nobre misterioso e um Slaine que tomou uma decisão impulsiva e "sombria" e ainda teria um Inaho apaixonado e desesperado sem saber onde a princesa foi parar; já pensaram onde isso podia dar!? Do que o que foi feito pra série e ainda digo mais! O fim que Aoki planejava, até que não era ruim e seria uma ousadia que seria aceita pelo público! Mas já estavam "vacinados" pela ousadia na temporada um e seu "tiroteio feliz", que acho que não quiseram apostar em teimar com esse fim por causa disso.

Disponível no Crunchyroll (com legendas em Português)

E também em home vídeo internacional pela Aniplex (mas aí só legendado em inglês e num pacote de luxo!)

Nada como mais um dia na escola mãe, só fiquei limpando o meu robô e fazendo a manutenção! Ah sim! Que bom! Espera! O que diabos você disse!!!
Só mais um dia "normal de trabalho" no mundo de Aldnoah...

Trailer "Temporada 1"

Trailer "Temporada 2"

(E avisando que o vídeo contém spoilers de montão sobre a temporada anterior veja por sua conta e risco!)

Links Uteis

Aldnoah.Zero no Wikipedia em inglês

Site oficial de Aldnoah.Zero em inglês

Site oficial de Aldnoah.Zero em Japonês (mais completo em conteúdo pois tem tudo já feito na produção inclusive os cd drama que não saíram no ocidente)

Aldnoah.Zero no My anime lIst em inglês (ficha com a equipe de produção)

32 visualizações

©2019 por brasilanimecafe. Orgulhosamente criado com Wix.com